Justiça pode travar ciclo de 15 anos de Mexia na EDP

António Mexia lidera a EDP desde 2006. A um ano de completar o quinto mandato, o gestor pode ter de ceder o lugar se vingarem as medidas de coacção pedidas pelos procuradores do caso EDP ao juiz Carlos Alexandre. Empresa reage e diz que proposta do Ministério Público é “ilegal”.

Foto
Sara Jesus Palma

Ao juiz de instrução criminal Carlos Alexandre, a quem a defesa de António Mexia aponta uma alegada falta de parcialidade e uma actuação concertada com o Ministério Público, caberá decidir se o actual líder da EDP vai cumprir o ano que ainda lhe falta neste seu quinto mandato à frente da empresa.