Casas de jogadores do Benfica vandalizadas após jogo. Vieira repudia actos intimidatórios

Residências de alguns dos futebolistas e treinador Bruno lage foram graffitadas com insultos e ameaças. Presidente reagiu em comunicado

futebol,desporto,violencia-desporto,i-liga,futebol-nacional,psp,
Foto
Casa de Pizzi foi uma das vandalizadas DR

Depois do apedrejamento ao autocarro da equipa, sabe-se agora que as residências de alguns jogadores do plantel do Benfica foram danificadas durante a madrugada desta sexta-feira. Nas fotografias partilhadas nas redes sociais é possível ver insultos graffitados nos portões das casas de Pizzi e Rafa, enquanto na porta da residência de Bruno Lage também foi inscrito o símbolo do grupo No Name Boys. Também a casa de Grimaldo foi vandalizada com insultos. 

O clube reagiu, na tarde desta sexta-feira, num comunicado assinado pelo presidente do clube, Luís Filipe Vieira. O dirigente “encarnado” repudiou e condenou os comportamentos ocorridos esta madrugada, garantindo que a situação foi comunicada de imediato às autoridades, junto das quais já foram apresentadas queixas. O responsável máximo deixou também uma palavra de solidariedade para com os atletas feridos no ataque ao autocarro da equipa. 

Na noite de quinta-feira, o autocarro do Benfica foi atingido por uma pedra quando regressava ao centro de treinos do Seixal, no momento em que saía da A2. O arremesso de objectos surgiu na sequência do empate caseiro com o Tondela, no primeiro jogo da equipa depois da retoma do campeonato, que deitou por terra a hipótese de ultrapassar o FC Porto na classificação.

Dois jogadores sofreram ferimentos na sequência do incidente. O alemão Julian Weigl e o sérvio Zivkovic foram transportados para o Hospital da Luz, informou o Benfica em comunicado, depois de terem sido assistidos na academia do clube, no Seixal. Zivkovic foi atingido no olho por estilhaços de vidro. O germânico – que já tinha sido vítima de um ataque a um autocarro da equipa enquanto jogador do Borrusia Dortmund – terá ficado abalado com a situação. 

Numa nota à comunicação social publicada no site do clube, as “águias” classificaram o incidente como um “criminoso apedrejamento”, dando conta do regime de “total colaboração” com as autoridades. O incidente encontra-se sob investigação. 

Também o presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Fernando Gomes, exigiu uma punição para os autores do apedrejamento ao autocarro da equipa do Benfica, que “mancham, de novo, a imagem do futebol”. O dirigente apelou ainda à “acção implacável do Estado”.

Sugerir correcção