Mês passado foi o Maio mais quente já registado no planeta

Foi o mais quente mês de Maio desde que há registos. Temperaturas mais altas do que o normal e até “muito anormais” foram registadas na Sibéria, com quase 10°C acima do normal.

Rádio nova
Foto
Miguel Manso

O mês de Maio foi o mais quente registado em relação ao mesmo período nos anos anteriores no planeta, segundo o serviço europeu de mudanças climáticas Copernicus, que registou temperaturas muito acima do normal, especialmente no Árctico.

“O mês de Maio foi 0,63°C mais quente do que a média no mesmo mês dos anos 1981-2010, o que o torna o mês de Maio mais quente desde o início da recolha de dados”, à frente de Maio de 2016 e Maio de 2017, divulgou nesta sexta-feira o Copernicus num comunicado.

Temperaturas mais altas do que o normal e até “muito anormais” foram registadas na Sibéria, com quase 10°C acima do normal. No Noroeste da região, a quebra de gelo nos rios Ob e Yenisei (Sibéria) nunca havia começado tão cedo, disse o Copernicus.

A Primavera também foi particularmente amena em grande parte da região do Árctico, nomeadamente no Oeste do Alasca, e na Antárctida.

Globalmente, o serviço europeu destaca que os últimos doze meses (Junho de 2019 a Maio de 2020) igualam o período do ano mais quente já registado (Outubro de 2015 a Setembro de 2016), com 0,7°C acima do normal.

Devido ao aquecimento global causado pelas emissões de gases com efeito de estufa produzidas pelas actividades humanas, o planeta já ganhou mais de 1°C desde a era pré-industrial, causando uma multiplicação de eventos climáticos extremos como ondas de calor, secas ou inundações.

O ano de 2019 foi o segundo ano mais quente do mundo, depois de 2016, e os especialistas esperam que a temperatura média global quebre um novo recorde no próximo período de cinco anos (2020-2024).

Sugerir correcção