Há um eclipse penumbral da Lua marcado para esta sexta-feira

Em Portugal continental, este ténue eclipse será visível mais de uma hora.

Foto
Lua cheia antes do eclipse penumbral no Cairo em Outubro de 2013 Amr Abdallah Dalsh/Reuters

Esta sexta-feira (5 de Junho) a Lua vai ficar na penumbra. Pouco antes das 21h em Portugal continental a Lua nasce já eclipsada. Este eclipse penumbral será visível durante mais de uma hora em Portugal continental ao apresentar uma ligeira variação do brilho que dificilmente é notada.

Um eclipse penumbral da Lua é um fenómeno astronómico que acontece quando a Lua entra na região de penumbra da Terra, o que resulta numa variação do brilho do satélite natural que dificilmente é notada.

O que significa isto? Imagine que estamos na Lua e que viajamos dentro de um círculo de sombra. Esse círculo divide-se em duas partes: uma parte mais próxima do centro, a umbra, onde a luz reflectida pela Lua é completamente bloqueada; e outra mais próxima do limite da circunferência, a penumbra, que é a região onde só uma porção da luz da Lua é obscurecida.

Gustavo Rojas, membro do Núcleo Interactivo de Astronomia (Nuclio), explica que a Lua começa a entrar na penumbra por volta das 18h45 (hora de Lisboa) quando ainda está abaixo do horizonte. Depois, de acordo com o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL), em Portugal continental, a Lua nascerá eclipsada pouco antes das 21h: em Lisboa às 20h52; no Porto às 20h58; em Coimbra às 20h53; e em Faro às 20h42. Já no Funchal isso acontecerá às 21h08 e em Ponta Delgada às 20h59.

A Lua sairá da penumbra pelas 22h06 em Lisboa, Porto, Coimbra, Faro e Funchal, segundo o OAL. Em Ponta Delgada isso ocorrerá às 21h06. Em Portugal continental, o eclipse será visível durante mais de uma hora e menos de uma hora nos arquipélagos ao apresentar uma ligeira variação do seu brilho que dificilmente é notada. O fenómeno como um todo durará mais de três horas.

Contudo, Gustavo Rojas ressalva: “É um fenómeno muito subtil. Vai ser um verdadeiro desafio [vê-lo]”. E especifica que, quando a Lua nascer, o céu ainda está muito claro e só por volta das 21h30 (hora de Lisboa), no crepúsculo, é “que se pode ver qualquer coisa”, mas mesmo assim já está muito no final do fenómeno.

Este eclipse será visível da Austrália, Antárctida, Ásia, Europa, África, Leste da América do Sul, do Sul do oceano Atlântico, do oceano Índico e do oceano Pacífico Ocidental.