Saint Germain vai transformar antiga quinta senhorial num novo pólo do Barreiro

Concorrente cede 82% da propriedade ao município e vai investir 40 milhões de euros num hotel, vários equipamentos e 185 fogos.

barreiro,camara-barreiro,tejo,local,cdu,ps,
Fotogaleria
barreiro,camara-barreiro,tejo,local,cdu,ps,
Fotogaleria
barreiro,camara-barreiro,tejo,local,cdu,ps,
Fotogaleria
barreiro,camara-barreiro,tejo,local,cdu,ps,
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Transportede água
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Fotogaleria
Recursos hídricos
Fotogaleria
Recursos hídricos
Fotogaleria

A Saint Germain – Empreendimentos imobiliários S.A é o concorrente vencedor do concurso público municipal de venda da Quinta do Braamcamp, no Barreiro, revelou o vereador Rui Braga na última reunião de câmara.

A imobiliária, com sede em Leiria, que apresentou uma proposta de cinco milhões e dez euros para a compra da quinta senhorial ao município, cede de volta ao município cerca de 82% da propriedade, onde se inclui a Caldeira Grande e toda a zona de sapal, áreas ambientalmente sensíveis à beira-Tejo.

Com esta decisão do júri do concurso, sai vencida a proposta da Calatrava Grace, empresa do arquitecto e engenheiro espanhol autor do projecto da Gare do Oriente, que era um dos dois concorrentes no processo de alienação.

O projecto vencedor estima um investimento de 40 milhões de euros que inclui a recuperação e colocação em funcionamento do edifício do Moinho de Maré da Braamcamp, a construção de um hotel com 178 camas, que será o primeiro na cidade do Barreiro, e de 185 fogos para habitação. Os prédios terão um máximo de dois pisos de altura, conforme determina o Plano Director Municipal (PDM) para aquela zona ribeirinha.

A unidade hoteleira, com 85 apartamentos de alojamento, será feita com base na reconstrução e interligação das antigas construções existentes a um edifico de serviços de apoio que incluirá SPA, ginásio, piscina e bar.

Questionado pelo PÚBLICO, o vereador das Obras, Planeamento, Desenvolvimento Económico e Turismo da Câmara do Barreiro não esconde o entusiasmo com que vê o desfecho do processo. “Salvámos a Braamcamp e o Barreiro fica muito melhor preparado para enfrentar o futuro” diz Rui Braga, que classifica o projecto apresentado pela Saint German como “fantástico”

O autarca socialista afirma que a proposta vencedora “cumpre todos os requisitos que podem melhorar a opinião dos barreirenses sobre o projecto” e que todas as contrapartidas obrigatórias, fixadas pelo município no caderno de encargos, foram preenchidas.

A autarquia destaca as condições para o usufruto da população, que prevêem equipamentos públicos como um circuito de manutenção com 640 metros de percurso e dez máquinas, parque de merendas, parque para crianças e jovens, com parede de escalada, half-pipe e dois campos de street basket, torre de observação paisagística, com vista para Lisboa, 570 metros de passadiços sobre a zona de reserva ecológica nacional de forma a preservar a flora local.

O projecto inclui também um Wake Park, considerado “singular” em toda a região metropolitana de Lisboa e com “carácter turístico e inovador”.

“Vamos receber um terreno infra-estruturado, com equipamentos e o espaço é para ser usufruído por todos os barreirenses”, sublinha Rui Braga que destaca também a importância e a oportunidade do investimento. “Estamos a falar de várias dinâmicas, como criação de emprego e atracção turística, que são essenciais para inverter a redução de população e incentivar a economia local. E se já eram bem-vindas estas sinergias no passado, ainda mais agora no pós-Covid-19”, defende.

O vereador responsável pelo processo recorda que o prazo limite para a apresentação de propostas à compra da quinta “caiu mesmo em plena pandemia, quando havia cenários e perspectivas negativas, algumas catastróficas”, pelo que, conclui, “foi muito positivo terem aparecido duas propostas”.

O investimento de 40 milhões que a empresa vencedora estima fazer é, por isso, visto como “muito relevante para o Barreiro e até para a Área Metropolitana de Lisboa, sobretudo neste contexto de retoma económica depois da pandemia”.

“Termos este projecto concluído nesta altura, são notícias excelentes. Estou entusiasmado e desejoso que o processo ande para a frente e o projecto se concretize”, diz ainda o eleito socialista.

Para Rui Braga, a nova oferta de habitação prevista para a Quinta do Braamcamp “que não fere ambientalmente nem a nível paisagístico” porque a construção está “enquadrada urbanisticamente” e estão incluídas “medidas dedicadas ao combate às alterações climáticas”.