Covid-19. Internado nos cuidados intensivos, Isidre foi ver o mar numa cama de hospital

Internado no Hospital del Mar, em Barcelona, que se situa em frente à praia de Somorrostro, desde 9 de Abril, o doente de covid-19 pôde sentir a brisa do mar e contemplar o oceano.

saude,hospitais,espanha,virus,mar,doencas,
Fotogaleria
Isidre junto à praia de Somorrostro, em Barcelona David Ramos/Getty Images
saude,hospitais,espanha,virus,mar,doencas,
Fotogaleria
Os médicos a transportar Isidre até à praia de Somorrostro, em Barcelona David Ramos/Getty Images

As fotografias de um doente deitado numa cama de hospital a ver o mar em Barcelona, Espanha, têm corrido o mundo. O protagonista do acontecimento é Isidre Correa, tem 61 anos e está internado no Hospital del Mar desde 9 de Abril, por estar infectado com o novo coronavírus.

Cinco dias depois de ter sido hospitalizado, Isidre passou para a unidade de cuidados intensivos daquele hospital de Barcelona, onde se mantém. Além da covid-19, é diabético e tem excesso de peso, conta o jornal espanhol La Vanguardia.

O Hospital del Mar situa-se em frente à praia de Somorrostro. Por isso, os profissionais de saúde lembraram-se de levar os doentes a ver o mar, desde que o seu estado de saúde o permita e os familiares estejam de acordo. Assim, esta quarta-feira Isidre teve a oportunidade de sair por uns minutos do hospital e contemplar o oceano.

PÚBLICO -
Foto
Isidre com os médicos na praia de Somorrostro David Ramos/Getty Images

Helena Soriano, mulher de Isidre, acompanhou-o nesse momento e agradeceu o trabalho dos profissionais de saúde. “A doença não facilitou a vida aos médicos e eles reagiram de forma espectacular: nota 10”, diz Helena, em declarações à rádio catalã RAC1.

O médico Joan Ramon Masclans, director da unidade de cuidados intensivos do Hospital del Mar, classifica o estado de Isidre como “grave e complexo” e destaca a importância deste tipo de gestos. “Devemos inovar no humanismo e estes detalhes são muito importantes para a recuperação dos doentes e também para os médicos”, declara à mesma estação de rádio.

David Ramos, fotógrafo que captou o momento, partilha o que sentiu durante a experiência: “Ao tirar a fotografia emocionas-te, mas isso acontece sobretudo depois. Entretanto, estás a trabalhar e tens de manter a distância.”

Até ao final desta semana está previsto que os médicos decidam se Isidre pode ou não sair dos cuidados intensivos para a enfermaria, tendo em conta o seu progresso.