Programa de estabilização terá apoio ao rendimento e linhas de crédito para empresas

O primeiro-ministro garante ainda que haverá medidas de combate ao desemprego jovem.

saude,politica,antonio-costa,jeronimo-sousa,pcp,governo,
Foto
O primeiro-ministro voltou a rejeitar a austeridade como resposta à actual crise LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

Assumindo que a actual crise tem custos económicos e sociais “absolutamente brutais”, o primeiro-ministro levantou um pouco do véu sobre as linhas do Programa de Estabilização Económica e Social, que é aprovado nesta quinta-feira em Conselho de Ministros. No debate quinzenal desta quarta-feira, sem concretizar medidas, António Costa colocou como pilar fundamental o apoio ao rendimento e à contratação pelas empresas.