Meninos regressam ao pré-escolar em Arcos de Valdevez com hélices na cabeça

Emília Cerdeira, vereadora com a pasta da educação no município, refere que se tratou de “uma brincadeira” que “explica aos meninos o distanciamento social na comunidade”.

ensino-preescolar,arcos-valdevez,criancas,local,educacao,escolas,
Fotogaleria
Facebook Município de Arcos de Valdevez
ensino-preescolar,arcos-valdevez,criancas,local,educacao,escolas,
Fotogaleria
Facebook Município de Arcos de Valdevez

Os estabelecimentos de pré-escolar reabriram na segunda-feira com novas orientações devido à pandemia de covid-19. Em Arcos de Valdevez, o regresso fez-se de forma original: os alunos tiveram direito a chapéus com hélices coloridas, que ilustram a necessidade de distanciamento social.

O município de Arcos de Valdevez ofereceu 380 chapéus a todas as crianças inscritas no pré-escolar. “Uma alegre ‘hélice’ de 1.20m que funciona com uma sugestão amiga de afastamento; o kit é composto por 7 peças em polipropileno colorido e pode ser montado pelas próprias crianças, resultando num elemento de grande originalidade e cariz pedagógico”, refere o município numa publicação no Facebook.

“Este ano, o Dia da Criança foi diferente e também foi o dia de regresso às aulas de muitos meninos do pré-escolar”, começa por explicar ao PÚBLICO Emília Cerdeira, vereadora com a pasta da educação no município de Arcos de Valdevez. “O Exploratório de Coimbra desenvolveu este protótipo, uma brincadeira, um chapéu em que explica aos meninos o distanciamento social na comunidade”, afirma a responsável.

Face a algumas críticas que surgiram, Emília Cerdeira garante que “as crianças estiveram com isto no máximo cinco minutos”. “Montaram o chapéu, no final colocaram, depois arrumaram ou brincaram com ele, levaram-no para casa e aquele material também pode ser reutilizado para ser a base de outras brincadeiras e construções”, refere.

A vereadora esclarece ainda que, na escola, as crianças “não têm de ter este distanciamento, têm é de perceber o porquê de os pais, na fila do supermercado, manterem distância da pessoa da frente ou do lado, por que é que vão ver os avós mas se mantêm à distância”, por exemplo. “As educadoras utilizaram isto como um instrumento de ensinar o distanciamento social cá fora, na rua”, acrescenta.

O objectivo foi “oferecer uma pequena recordação” para os mais pequenos entenderem, “de uma forma lúdica e divertida, com as cores do arco-íris” que, “se todos cumprirem a obrigatoriedade de afastamento social, no fim tudo vai correr bem”, afirma Emília Cerdeira.

O regresso às actividades do pré-escolar coincidiu com o Dia da Criança, celebrado a 1 de Junho. Entre as indicações para a reabertura estão a necessidade de maximizar o distanciamento físico quando as actividades decorrem em mesas, a utilização de salas amplas e arejadas ou a preferência por actividades realizadas em pequenos grupos ou individualmente.