Marcelo: “Não faz sentido que os jovens estejam a organizar festas com centenas de pessoas”

O Presidente da República apela à contenção dos mais jovens e avisa que as regras “valem para todos”.

Marcelo Rebelo de Sousa
Foto
Marcelo Rebelo de Sousa JOSÉ COELHO/Lusa

O Presidente da República apelou este domingo aos mais jovens para que respeitem as regras de distanciamento impostas pela pandemia de covid-19 e avisou que as normas sanitárias “valem para todos”.

Em declarações à entrada para a missa na Sé de Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa reiterou o elogio às várias confissões religiosas em Portugal pelo exemplo que deram nesta pandemia e, em concreto nesta ocasião, à igreja católica. “A igreja, com uma sabedoria de milénios, deu um exemplo ao povo português”, afirmou.

Questionado sobre as medidas para a terceira fase do desconfinamento anunciadas pelo Governo na sexta-feira, com restrições especiais para a Área Metropolitana de Lisboa, o chefe de Estado dirigiu um apelo aos mais jovens, considerando que os que trabalham diariamente na construção civil, indústria ou comércio “estão expostos naturalmente a riscos de contágio”.

“Agora não faz sentido que os jovens estejam a organizar festas com centenas de pessoas e muito próximas e sem preocupação de distanciamento”, afirmou.

O Presidente de República acrescentou que, se os jovens “têm a sensação de que não correm riscos, podem transportar riscos”.

“As normas sanitárias devem valer para todos, devem valer para os bairros periféricos de Lisboa para impedir riscos de saúde, mas devem valer também em festas de sociedade em que se pede aos jovens que, verdadeiramente sem pensarem nos riscos que acham que não correm, se dispensem de ir longe de mais, depressa de mais, com risco para os outros”, avisou.

Rave ilegal travada pela GNR

A GNR de Santarém deteve na madrugada de sábado sete homens, com idades entre os 25 e os 40 anos, numa operação policial, em Rio Maior.

“No âmbito de uma Operação Especial de Prevenção Criminal, que começou por uma fiscalização de trânsito na cidade de Rio Maior, após uma denúncia anónima, os militares deslocaram-se a uma herdade, em São João da Ribeira, tendo detectado uma festa de música electrónica que decorria ilegalmente no interior de uma tenda, dissimulada na vegetação, com a participação de cerca de 40 pessoas e sem qualquer tipo de licenciamento”, diz a GNR em comunicado.

A rave ilegal foi encerrada, tendo sido detidos dois homens de 25 e 40 anos pelo crime de condução de veículo sob o efeito do álcool e cinco homens, com idades entre os 18 e os 35 anos, pelo crime de tráfico de estupefacientes. 

Foram ainda identificados e elaborados dez autos de ocorrência por consumo e aprendidas 78 doses de haxixe, 58 de MDMA e 19 de cocaína.

Sugerir correcção