De Mineápolis à Casa Branca, a América negra grita “sem justiça, não há paz”

Resposta musculada de vários estados fez crescer a violência em algumas cidades. Na capital, uma multidão tentou furar a barreira policial que protegia a Casa Branca, com o Presidente Trump a assistir. Derek Chauvin será levado a tribunal na segunda-feira.

"Os ricos já não estão seguros" foi uma das frases pintadas nas fachadas de restaurantes e lojas em Washington D.C.
Fotogaleria
"Os ricos já não estão seguros" foi uma das frases pintadas nas fachadas de restaurantes e lojas em Washington D.C. Reuters/YURI GRIPAS
Mais de mil pessoas manifestaram-se em frente à Casa Branca, num protesto que acabou em violência
Fotogaleria
Mais de mil pessoas manifestaram-se em frente à Casa Branca, num protesto que acabou em violência LUSA/JIM LO SCALZO

A torrente de raiva e frustração que já corria para fora da cidade norte-americana de Mineápolis há quase uma semana, após a morte de mais um cidadão negro sob custódia da polícia nos Estados Unidos, alastrou-se no fim-de-semana a dezenas de cidades em todo o país, com episódios de violência, e levou os governadores de 12 estados a enviarem para as ruas as unidades da Guarda Nacional.