Para quando o cordão sanitário à volta do futebol?

Anda o Ministério Público a chatear Mário Centeno por causa de dois bilhetes para a bola, e depois a lista de candidatura de Pinto da Costa parece uma bancada da Assembleia da República.

Uma das boas consequências da pandemia poderia ter sido esta: pôr o futebol no seu lugar – um simpático passatempo dominical, em vez deste repugnante concentrado de tudo o que de pior existe no país. Infelizmente, não vai acontecer. O desconfinamento geral da pátria veio acompanhado do desconfinamento particular do futebol, e antes de a bola começar a rolar já tivemos o inocentado Bruno de Carvalho em directo nos telejornais, por causa da sentença de Alcochete, e a apresentação da recandidatura de Pinto da Costa à presidência do Futebol Clube do Porto. Vale a pena olhar para esta última.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.