Corpo de jovem estudante encontrado no rio Tejo

Autoridades encontraram o corpo e a arma que terá sido utilizada para matar a rapariga de 23 anos. Suspeito deverá ser presente ao juiz de instrução no sábado para primeiro interrogatório.

tejo,sociedade,lisboa,policia-judiciaria,crime,justica,
Fotogaleria
Rui Gaudêncio
tejo,sociedade,lisboa,policia-judiciaria,crime,justica,
Fotogaleria
Estudante confessou que se desfez do corpo da colega no rio Tejo, junto ao cais da Matinha Rui Gaudêncio
tejo,sociedade,lisboa,policia-judiciaria,crime,justica,
Fotogaleria
Rui Gaudêncio
tejo,sociedade,lisboa,policia-judiciaria,crime,justica,
Fotogaleria
Rui Gaudêncio

O corpo da estudante de 23 anos, natural de Elvas, que terá sido morta pelo colega de mestrado, foi encontrado pelas autoridades nesta sexta-feira, apurou o PÚBLICO junto de fonte policial. O corpo foi avistado por um homem que avisou as autoridades. Estava no rio Tejo, junto ao terminal de contentores de Santa Apolónia. 

A arma, que apenas se sabe que será um objecto perfurante, também foi encontrada, mas numa zona de lodo, junto ao Cais da Matinha, onde as autoridades estiveram a fazer buscas durante o dia de ontem e toda a manhã desta sexta-feira.

Terá sido o próprio suspeito, Rúben Couto, de 25 anos, que quando foi detido na quarta-feira, pela Polícia Judiciária (PJ) de Lisboa, admitiu a agressão e indicou o local onde deixou o corpo da jovem e a arma do crime. A estudante terá sido morta na casa onde vivia, na zona de Marvila, em Lisboa, na noite de 22 de Maio.

Rúben Couto, suspeito de matar a colega de mestrado, tem estado internado no Hospital de São José, em Lisboa, depois de ter sido encontrado, na quinta-feira, com ferimentos (feitos por si próprio) pelos guardas do estabelecimento prisional da Polícia Judiciária (PJ).

Ao que o PÚBLICO apurou, o suspeito deverá ter alta ainda esta sexta-feira, sendo presente sábado ao juiz de instrução criminal para primeiro interrogatório judicial.