Conselho Superior de Defesa apoia ampliar missões em África

Foi elogiado o papel das Forças Armadas no combate à pandemia do novo coronavirus.

madeira,acores,uniao-europeia,defesa,republica-centroafricana,nacoes-unidas,
Foto
Conselho assessora Presidente sobre as Forças Armadas LUSA/ANTÓNIO COTRIM

O Conselho Superior de Defesa Nacional, reunido na tarde desta segunda-feira por videoconferência, apoiou um maior envolvimento das Forças Nacionais Destacadas na África subsariana.

“O Conselho Superior de Defesa Nacional foi informado sobre o ponto da situação das Forças Nacionais Destacadas e emitiu parecer favorável às propostas de ajustamento em calendário, objectivos de missão, assim como para a ampliação da área de actuações, nomeadamente para as actividades em curso na região da África subsariana”, lê-se no comunicado divulgado no site da Presidência da República.

Recorda-se que militares portugueses, em operações das Nações Unidas e da União Europeia, actuam em vários cenários, o mais delicado dos quais é a República Centro-Africana.

O conselho, presidido pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, elogiou também os esforços desenvolvidos pelas Forças Armadas no apoio ao combate à pandemia do covid-19. “Pela permanente disponibilidade e abnegação, garantindo simultaneamente a continuidade e segurança das operações, dentro e fora do território nacional”, destaca.

No Conselho Superior de Defesa Nacional, órgão de consulta do Presidente da República para assuntos das forças Armadas, integra o primeiro-ministro, os ministros da Defesa Nacional, dos Negócios Estrangeiros, da Administração Interna, finanças, Indústria e Energia, Transportes e Comunicações. 

Também têm assento os representantes da República nas regiões autónomas, os presidentes dos governos regionais dos Açores e Madeira, o presidente da comissão parlamentar da Defesa Nacional e dois deputados indicados pela Assembleia da República.