Liverpool-Atlético levou a 41 mortes por covid-19, revela estudo

Jogo da Liga dos Campeões foi disputado numa altura em que os casos já tinham disparado em Espanha.

covid19,coronavirus,futebol,desporto,liga-campeoes,reino-unido,
Fotogaleria
Atlético de Madrid venceu os ingleses Reuters/PHIL NOBLE
covid19,coronavirus,futebol,desporto,liga-campeoes,reino-unido,
Fotogaleria
Reuters/CARL RECINE

Um estudo realizado com base nos dados disponibilizados pelo serviço nacional de saúde (NHS) britânico aponta para a ocorrência de 41 vítimas mortais de covid-19, como consequência da presença em Anfield Road, para assistir ao jogo entre Liverpool e Atlético Madrid, no dia 11 de Março. Uma partida que foi muito contestada e cujo “resultado” (não desportivo) terá sido devastador.

Os números foram neste domingo adiantados pelo Sunday Times e têm por base um trabalho de análise conduzido pela Edge Heath, uma empresa que usa modelos de dados para avaliar as informações reunidas pela NHS. No caso, revela que as 41 mortes ocorreram entre 25 a 35 dias depois da realização da partida. 

Esse jogo, disputado em Anfield Road, foi o último realizado em Inglaterra antes da interrupção das competições desportivas e do confinamento obrigatório decretado pelo Governo britânico. Nesse encontro respeitante à Liga dos Campeões, marcaram presença no estádio nada menos do que 54.000 espectadores, 3000 dos quais eram espanhóis, apoiantes do Atlético.

Nessa altura, de resto, já Espanha tinha avançado para jogos de futebol à porta fechada e para o encerramento de restaurantes e bares, pondo em marcha um plano de confinamento que, ainda assim, não foi suficiente para evitar que o país vivesse uma situação alarmante.

“Realizar o jogo não foi uma decisão acertada”, admitiu Matthew Ashton ao jornal The Guardian, no início de Abril. O responsável pelo gabinete de saúde pública de Liverpool não quis pôr em causa os clínicos e cientistas que terão aconselhado o primeiro-ministro Boris Johnson nesse momento, mas aludiu a uma avaliação pouco rigorosa. “Talvez o Governo não tenha compreendido na altura a gravidade da situação”.

Matthew Ashton já há cerca de dois meses que encarava a possibilidade de o Liverpool-Atlético Madrid ter contribuído “para a subida do número de casos” na cidade e estes dados, trabalhados pela Edge Heath, vêm de encontro a esses receios. A preocupação estende-se também a Steve Rotheram, autarca de Liverpool que entretanto ordenou a abertura de um inquérito ao caso. 

“Se as pessoas tiverem contraído covid-19 como resultado directo de um evento desportivo que sempre achámos que não deveria ter tido lugar, isso será escandaloso”, afirmou à BBC, reforçando: “Isso terá colocado não apenas essas pessoas em risco, mas também os corpos clínicos do NHS que estavam na linha da frente do combate à pandemia e os seus familiares”.

Para além deste jogo de futebol, há um outro evento desportivo que foi alvo de estudo e com uma conclusão semelhante: o Festival de Cheltenham. Na qualidade de uma das competições hípicas mais importantes do Reino Unido, reuniu perto de 250 mil pessoas na segunda semana de Março, o que terá contribuído para gerar “37 mortos adicionais” por covid-19.

Sugerir correcção