PS de Gouveia pede “aclaração cabal” do envolvimento do município no caso PPP

Em causa está o envolvimento “em alegados esquemas de corrupção” em parcerias público-privadas.

PS de Gouveia exige escarecimentos aos responsáveis pelo município
Foto
PS de Gouveia exige escarecimentos aos responsáveis pelo município PP PAULO PIMENTA

A comissão política concelhia do PS de Gouveia, no distrito da Guarda, pede uma “aclaração cabal aos responsáveis pela gestão do município”, sobre o envolvimento “em alegados esquemas de corrupção” em parcerias público-privadas (PPP), foi hoje anunciado.

“Sem prejuízo do direito à 'presunção de inocência’ por parte dos acusados e independentemente do pedido de esclarecimentos que os vereadores do PS não deixarão de fazer na próxima reunião do executivo, o PS-Gouveia exige uma aclaração cabal aos responsáveis pela gestão do município, sobretudo ao seu presidente, lamentando desde já que a nossa terra seja notícia por motivo tão deplorável”, refere o partido em comunicado.

Na mesma nota, o PS manifesta publicamente “a sua enorme preocupação” face às notícias que envolvem “responsáveis do município de Gouveia em alegados esquemas de corrupção, entre outros delitos".

O Ministério Público (MP) anunciou na quinta-feira que deduziu acusação contra nove arguidos que são suspeitos da prática de crimes de corrupção, prevaricação de titular de cargo político, branqueamento de capitais e participação económica em negócio, num esquema de PPP alegadamente lesivo para as contas dos municípios de Trancoso, Alcobaça, Sabugal e Gouveia, entre 2007 e 2011.

Entre os nove arguidos, estão Álvaro Amaro, na altura presidente da Câmara de Gouveia, o actual vice-presidente da Câmara de Alcobaça, Hermínio Rodrigues, e o actual presidente da Câmara de Gouveia, Luís Tadeu (na altura vice-presidente daquela autarquia), refere a acusação a que a agência Lusa teve acesso.

Para estes três arguidos, por se manterem a exercer funções políticas, o MP pede a perda de mandato.

Sugerir correcção