Covid-19 em Portugal: mais 14 mortes, casos crescem 0,8%, recuperados estagnam

Há 608 pessoas internadas, 92 delas em unidades de cuidados intensivos (o número mais baixo desde Março), e já 6452 pessoas recuperaram da infecção. Há mais de 70% de pessoas infectadas a serem tratadas em casa e o número de recuperados continua inalterado desde quarta-feira: são 6452.

direccaogeral-saude,saude,sociedade,portugal,virus,doencas,
Foto
Adriano Miranda

Foram registadas mais 14 mortes por covid-19 em Portugal nas últimas 24 horas (uma taxa de crescimento de 1,1% em relação ao dia anterior) e há agora um total de 29.912 casos confirmados de infecção no país, mais 252 casos do que na quarta-feira – o que corresponde a uma taxa de crescimento de 0,8%. Portugal continua a ter menos de uma centena de pessoas internadas nas unidades de cuidados intensivos (92), tal como aconteceu no dia anterior – são os valores mais baixos desde Março. Ao todo, são 608 as pessoas internadas.

O número de pessoas recuperadas continua inalterado desde quarta-feira: são 6452. Uma pessoa é considerada “curada” depois de um teste com resultado negativo, caso o tratamento esteja a ser feito em casa, ou dois em 24 horas se o doente estiver no hospital. A taxa de letalidade é de 4,3%. 

Subtraindo o número de casos recuperados (6452) e de óbitos (1277) ao total de casos confirmados, há 22.183 casos ainda activos em Portugal. Os números foram divulgados esta quinta-feira no boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde (DGS), que actualiza o documento diariamente com os dados recolhidos até à meia-noite do dia anterior.

"A prevenção é a única vacina que dispomos"

“A prevenção é a única vacina que dispomos”, afirmou o secretário de Estado da Saúde António Lacerda Sales, na conferência de imprensa diária da DGS. Em Portugal, a capacidade de vigilância de suspeitos e infectados no domicílio está a aumentar “todos os dias”, com milhares de profissionais de saúde registados no Trace Covid, o sistema que permite seguir os doentes inscritos e ajudará a encontrar os contactos de doentes. António Sales acrescenta que a Linha Saúde 24 recebe 5500 chamadas por dia, e que já foram realizados mais de 698 mil testes desde o dia 1 de Março.

O secretário de Estado da Saúde diz que ainda não é altura de fazer balanços sobre o desconfinamento, notando que tem de continuar a existir um equilíbrio “entre o fique em casa e o retome”. António Lacerda Sales agradece aos portugueses a atitude exemplar e civismo no respeito das medidas de contenção.

António Sales referiu ainda que há 3317 profissionais de saúde infectados. Destes, 480 são médicos, 1088 são enfermeiros, 935 são assistentes operacionais, 159 são assistentes técnicos e 105 são técnicos superiores de diagnóstica e terapêutica. Os restantes incluem assistentes operacionais, assistentes técnicos e outros profissionais de saúde. Até à data, 1071 profissionais de saúde já recuperaram.

Na mesma conferência, a directora-geral da Saúde, Graça Freitas, diz que ainda se estão a aguardar informações sobre o impacto do clima no novo coronavírus, e que os cidadãos não podem descurar as medidas de contenção com o aumento da temperatura. “Este vírus ainda não se deixou estudar completamente”, explicou. “Temos de ter a humildade de dizer que não sabendo temos de tomar medidas para o pior cenário. E o pior cenário é que ele não reaja ‘mal’ às temperaturas elevadas.” Além disso, Graça Freitas argumentou que países com temperaturas mais elevadas também registaram casos de covid-19. “Singapura, que é um país no equador, controlou o caso mas teve casos de coronavírus.”

Consultas e cirurgias voltarão gradualmente. Portugueses não devem ter medo

O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, explicou que as consultas de saúde e cirurgias que foram suspensas devem ser retomadas de forma “gradual e progressiva”. O governante apela aos portugueses que “não tenham medo” de se dirigir aos serviços de saúde caso tenham necessidade, reforçando que há condições de segurança com “circuitos bem definidos e separados” dos serviços médicos dedicados à covid-19. Admite, no entanto, que ainda não é possível apontar uma data para o retorno completo à normalidade.

Lacerda Sales acrescentou que testes serológicos feitos por entidades como hospitais, instituições académicas, e autarquias serão considerados para a avaliação da imunização da população portuguesa face à covid-19. Estes testes visam apurar a percentagem da população que já esteve infectada e desenvolveu anticorpos para o novo coronavírus. O primeiro estudo piloto nacional, com cerca de duas mil pessoas, é da responsabilidade do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (Insa).

“Obviamente que todos os restantes estudos e testes em diferentes segmentos serão importantes para uma avaliação da imunização da população no futuro”, disse o secretário de Estado.

A directora-geral da Saúde confirmou ainda que foram detectados 70 casos de covid-19 em profissionais da empresa de logística Sonae, localizada no concelho de Azambuja. Ao todo, já foram realizados 339 testes e Graça Freitas esclaree que “todos estão clinicamente bem” e que tem existido uma “óptima colaboração” entre a DGS e a Sonae relativamente aos trabalhadores infectados. Muitos dos profissionais infectados estavam “em alojamentos em conjunto”, explicou. 

Na quarta-feira, havia um total de 1263 mortes em Portugal e 29.660 casos confirmados de infecção. Foi a primeira vez desde 28 de Março que o número de internados nos cuidados intensivos foi inferior à centena (93).

Em todo o mundo, há mais de 5 milhões de casos confirmados de infecção pelo coronavírus SARS-CoV-2 (que causa a doença covid-19), que causou a morte a 328 mil pessoas – quase 2 milhões recuperaram da infecção.

Sugerir correcção