Portugal seleccionado para Prémio de Literatura da União Europeia em 2021

Edições anteriores já distinguiram Dulce Maria Cardoso, Afonso Cruz e David Machado.

Prémio de Literatura da União Europeia destina-se a jovens emergentes escritores europeus
Foto
Prémio de Literatura da União Europeia destina-se a jovens emergentes escritores europeus enric vives-rubio

Portugal é um dos 14 países seleccionados para a edição de 2021 do Prémio de Literatura da União Europeia, que em edições anteriores distinguiu Dulce Maria Cardoso, Afonso Cruz e David Machado, segundo a organização do prémio.

Os vencedores deste ano foram anunciados na terça-feira, sendo eles Matthias Nawrat, da Alemanha, Nathalie Skowronek, da Bélgica, Lana Bastasic, da Bósnia-Herzegovina, Masa Kolanovic, da Croácia, Stavros Christodoulou, do Chipre, Asta Olivia Nordentoft, da Dinamarca, Irene Sola, de Espanha, Made Luiga, da Estónia, Shpëtim Selmani, do Kosovo, Francis Kirps, do Luxemburgo, Stefan Boskovic, do Montenegro, Petar Andonovski, da Macedónia do Norte, e Maria Navarro Skarange, da Noruega.

O Prémio de Literatura da União Europeia, que se destina a jovens emergentes escritores europeus, foi criado em 2009 pela Comissão Europeia e é financiado pelo programa Europa Criativa — o concurso está aberto aos 41 países actualmente abrangidos por este programa, mas como é organizado em ciclos de três anos, a cada ano a organização selecciona um conjunto de países correspondente a um terço do total de participantes. Deste modo, no final de cada ciclo trienal, todos os países e áreas linguísticas foram representados.

O primeiro ciclo de três anos foi concluído em 2009-2011 — tendo a escritora Dulce Maria Cardoso sido uma das vencedoras com Os Meus Sentimentos —, o segundo ciclo em 2012-2014 — em 2012 foi a vez de Afonso Cruz, com A boneca de Kokoschka , o terceiro ciclo em 2015-2017 — em 2015 coube a David Machado, com Índice médio de Felicidade  e o quarto iniciou-se em 2019 e termina em 2021.

Sugerir correcção