Com hospitais a rebentar, Brasil discute requisição de camas no sistema privado

Em algumas cidades, os médicos já têm de decidir quem é que tem acesso aos cuidados intensivos. Entidades de saúde defendem fila única para os dois sistemas.

pglobal,jair-bolsonaro,america-sul,saude,mundo,brasil,
Foto
Em Manaus, as unidades de cuidados intensivos dos hospitais públicos já atingiram o limite da capacidade Reuters/BRUNO KELLY

Num dos maiores hospitais de Fortaleza (Ceará), os médicos já se deparam com a escolha que atormenta qualquer profissional de saúde: escolher quais os pacientes que terão acesso aos cuidados intensivos. “A gente acaba escolhendo quem vai ter mais chances de sobreviver”, diz Andressa, nome fictício, à BBC Brasil.