Trump admite que está a tomar hidroxicloroquina

A Agência Europeia do Medicamento já alertou para os efeitos colaterais deste tipo de medicamentos.

Foto
Trump afirmou que toma o medicamento há uma semana e meia LUSA/Doug Mills / POOL

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou esta segunda-feira que está a tomar hidroxicloroquina, um medicamento utilizado para tratar a malária e doenças auto-imunes como a artrite reumatóide ou o lúpus.

“Comecei a tomar há algumas semanas. Um comprimido todos os dias”, disse Trump aos jornalistas, acrescentando que tem tido “zero sintomas”. O Presidente dos Estados Unidos já tinha defendido os supostos benefícios da hidroxicloroquina no combate à covid-19. Trump também referiu que todos os testes que fez à covid-19 deram negativo.

A Agência Europeia do Medicamento alertou, em Abril, para os efeitos colaterais que este tipo de medicamentos pode causar, por exemplo no ritmo cardíaco. A cloroquina e a hidroxicloroquina também podem provocar convulsões, danos no fígado e nos rins e baixar o nível de açúcar no sangue.

Em Portugal, a Direcção-Geral da Saúde publicou uma norma em Março que autoriza o recurso a esta opção no tratamento da covid-19, mas apenas em alguns casos graves e após uma avaliação da insuficiência respiratória do doente ou evidência radiológica de uma pneumonia.

Na sexta-feira, a directora-geral da Saúde afirmou que não há registo de reacções adversas à hidroxicloroquina em Portugal. “É um medicamento que deve ser usado de acordo com as suas indicações, pensando-se sempre o que se pesa quando se faz uma prescrição clínica, que são os riscos e os benefícios”, disse Graça Freitas.

A directora-geral da Saúde acrescentou que tanto as instituições nacionais como internacionais estão a acompanhar a evolução do uso deste medicamento, de forma a ajustar as recomendações.