As empresas de moldes e autoclismos também sabem fabricar viseiras

A corrida aos incentivos do Estado para a produção nacional de bens de protecção e segurança revelam um tecido empresarial atento e proactivo. Nesta reconversão, há empresas com décadas de actividades e outras abertas há escassas semanas.

Foto
"A Ernesto São Simão tinha a possibilidade de imprimir de imediato. Começámos a produzir uma viseira de cada vez", explica Pedro São Simão Teresa Pacheco Miranda

Não é todos os dias que no sistema de incentivos às empresas aparecem linhas que avançam, em média, com 80% do financiamento necessário a fundo perdido. Quando os avisos para o sistema de inovação foram abertos, a 20 de Abril, as entidades gestoras anteciparam que iriam atrair muita participação. Mas, como admitiu a ministra da Coesão Territorial, não estavam preparados para serem inundados com uma quantidade “avassaladora” de projectos. Isto, porque apareceu de tudo a este concurso: desde empresas com 70 anos de idade até outras que se criaram há escassos dias.