Painéis de São Vicente: Começa o “restauro de uma vida”

Dia Internacional dos Museus é marcado no MNAA pelo arranque da intervenção na mais importante das pinturas portuguesas. O desafio é grande e pode trazer surpresas.

graca-fonseca,museus,artes,culturaipsilon,museu-nacional-arte-antiga,pintura,
Fotogaleria
Um dos painéis centrais a caminho do seu lugar na parede Daniel Rocha
graca-fonseca,museus,artes,culturaipsilon,museu-nacional-arte-antiga,pintura,
Fotogaleria
Instalação quase completa com o painel da "Relíquia" a ser pendurado Daniel Rocha
graca-fonseca,museus,artes,culturaipsilon,museu-nacional-arte-antiga,pintura,
Fotogaleria
Susana Campos chama a atenção para um pormenor na dalmática de São Vicente, muito intervencionada em restauros anteriores Daniel Rocha
graca-fonseca,museus,artes,culturaipsilon,museu-nacional-arte-antiga,pintura,
Fotogaleria
Nestas imagens técnicas são visíveis as diferenças entre aquilo que foi pensado para este cavaleiro ajoelhado no momento do desenho e aquilo que acabou por ser pintado Daniel Rocha
,Pintura
Fotogaleria
Susana Campos acompanha a colocação de uma das pinturas na parede Daniel Rocha
Fotogaleria
Susana Campos junto a uma das imagens técnicas formadas por dezenas e dezenas de pequenas fotografias Daniel Rocha

Há ainda andaimes, escadotes, mesas de trabalho com berbequins, martelos, serrotes e pincéis. Há operários por todo o lado, de luvas e máscara como mandam as boas práticas de combate à pandemia. Manuel Fernandes, um veterano da construção que já renovou a casa dos Painéis de São Vicente pelo menos cinco vezes desde o começo dos anos 80, é o concertino desta orquestra que em menos de meia hora volta a pendurar na parede as seis pinturas de Nuno Gonçalves.