Carlos Costa considera que Centeno tem condições para o Banco de Portugal

Garante que o BdP tem uma máquina rejuvenescida, com competências e estruturação forte, e refere que são os políticos e definir as incompatibilidades.

,Banco
Foto
Carlos Costa admite que Centeno passa o exame para o Banco de Portugal LUSA/ANTÓNIO COTRIM

O governador do Banco de Portugal (BdP), Carlos Costa, considera que o ministro das Finanças, Mário Centeno, tem as condições necessárias para o substituir à frente do banco central depois de terminar o seu mandato a 9 de Julho.

“Acho que tem todas as condições para ser um grande governador do Banco de Portugal”, disse Carlos Costa, referindo que o actual BdP é uma estrutura diferente da que Centeno conheceu antes de ir para o Governo de António Costa.

Vai receber uma máquina que está rejuvenescida, com muitas maiores competências, com uma estruturação muito forte, com um sentido de missão e um foco muito claro”, considera em entrevista ao Expresso, que o semanário divulgará na integra na próxima semana.

O actual governador não aborda a questão da incompatibilidade de Mário Centeno sair das Finanças e do Governo para liderar o BdP, sem cumprir um período de nojo. “Cabe aos agentes políticos saber o que é que consideram incompatível ou não”, argumenta.

Quanto à independência do futuro governador Centeno face ao poder político, Carlos Costa define a questão. “Depende da forma como a pessoa interpreta o mandato que lhe está atribuído”, enuncia.

E, depois, concretiza. “Não é uma questão genética, é uma questão de compreensão do mandato e de atitude”, assinala. “O ideal é olhar para o perfil do governador que se pretende e depois olhar numa perspectiva de 360 graus para as possibilidades de recrutamento ou de convite que existem e, em função disso, ponderar os perfis que estão em causa”, aconselha. 

Sugerir correcção