Coronavírus

Iscte cria site para “conter infodemia” da desinformação sobre covid-19

O site CovidCheck.pt é actualizado diariamente.
Foto

Uma equipa do MediaLab CIES – Iscte, Instituto Universitário de Lisboa, criou o site CovidCheck.pt, para ajudar a esclarecer as principais questões dos portugueses sobre a pandemia e “conter a infodemia” da desinformação sobre a pandemia.

Atingiu o seu limite de artigos

A liberdade precisa do jornalismo. Precisa da sua escolha.

Não deixe que as grandes questões da sociedade portuguesa lhe passem ao lado. Registe-se e aceda a mais artigos ou assine e tenha o PÚBLICO todo, com um pagamento mensal. Pense bem, pense Público.

O projecto “nasceu da constatação de que um dos grandes problemas da pandemia provocada pelo coronavírus é a informação e comunicação”, segundo um comunicado sobre o projecto. Tem financiamento da iniciativa Gulbenkian Soluções Digitais Covid-19, da Fundação Calouste Gulbenkian, e o apoio da EDP e da Cuatrecasas (na área jurídica).

“Se por um lado, há falta de informação, informação dúbia ou incompleta, por outro, há uma verdadeira infodemia de desinformação, com consequências perigosas para a saúde”, assinala a equipa de investigação, liderada pelo professor catedrático Gustavo Cardoso e formada ainda por Ana Pinto Martinho, Inês Narciso, José Moreno, Miguel Crespo e Rita Sepúlveda.

A equipa, que já publicou em Março os relatórios Informação e desinformação sobre o coronavírus em Portugal e O tema coronavírus nos media e nas redes sociaisacredita que “a resolução da pandemia passa pela gestão de crise de comunicação e entendimento público de informação científica correcta”.

CovidCheck.pt, pensado como uma “rede pública de conhecimento sobre a covid-19, com actualização diária”, conta com o apoio especializado da Evidentia Médica e é uma colaboração entre o MediaLab CIES  Iscte, o Cenjor – Centro Protocolocar de Formação Profissional para Jornalistas e a Sociedade Portuguesa de Psicanálise, que vai tentar “ajudar a ultrapassar as dificuldades e limitações de viver em confinamento e com restrições que afectam a vida quotidiana”.

O projecto vai analisar discursos oficiais, informação jornalística, publicações dos cidadãos nas redes sociais e preocupações dos cidadãos nas pesquisas online. “Após a recolha, a informação é codificada, classificada, validada por psicanalistas e transformada em recomendações de optimização da comunicação, que tem como alvo os cidadãos, idosos e outros grupos de risco”, explica a equipa.

A partir da análise serão criadas recomendações e respostas a perguntas frequentes sobre a covid-19, que já causou, a nível global, mais de 300 mil mortos e infectou mais de quatro milhões de pessoas. Em Portugal, morreram 1190 pessoas das 28.583 confirmadas como infectadas, e há 3328 casos recuperados, de acordo com o boletim desta sexta-feira Direcção-Geral da Saúde.