Torne-se perito

Câmara de Cascais vai fazer testes serológicos gratuitos a toda a população

Vão ser disponibilizados testes aos mais de 200 mil residentes para saber se já estiveram expostos ao novo coronavírus. A decisão surge na sequência de um estudo epidemiológico realizado em Cascais.

Foto
Cascais vai ser a primeira autarquia portuguesa a testar todos os seus munícipes Rui Gaudencio

A Câmara Municipal de Cascais vai começar a testar toda a população já na próxima semana. Os testes serológicos serão gratuitos e vão permitir avaliar o número de potenciais infectados e de pessoas que já tiveram contacto com o novo coronavírus.

Desenvolvidos pela multinacional Roche Diagnostics, os testes vão detectar “a presença de anticorpos e a resposta imunitária contra o SARS-CoV-2”, lê-se no comunicado da autarquia. A testagem vai permitir à Câmara “obter informações sobre a prevalência desta doença nos mais de 200 mil habitantes de Cascais”.

A decisão da autarquia surge na sequência de um estudo epidemiológico realizado em Cascais, que revelou que 0,7% das famílias tiveram contacto com o vírus e desenvolveram anticorpos - valor acima dos 0,1% indicados pela Direcção-Geral da Saúde (DGS). Este resultado surge na mesma linha dos estudos do Imperial College de Londres e da Fundação Champalimaud em conjunto com o Algarve Biomedical Center, segundo os quais, respectivamente, até 5% e 2,8% da população já teve contacto com vírus.

Este estudo de prevalência da doença e imunidade teve uma amostra aleatória de 429 residentes em todas as freguesias do concelho e foi realizado entre 9 de Abril e 9 de Maio pela Câmara. Tanto o estudo epidemiológico como a massificação dos testes fazem parte de um conjunto de medidas de combate à pandemia implementados pela autarquia.

Miguel Pinto Luz, vice-presidente da Câmara de Cascais, em declarações ao jornal i, afirmou que “os testes já estão disponíveis a 1,5 euros e incluindo a técnica laboratorial terão um custo de 4 a 5 euros por habitante”. Desta forma, se todos os munícipes aderirem, a iniciativa representará, à partida, um “encargo de 500 a 600 mil euros, tendo o município recebido o apoio de mecenas como a Fundação Claude e Sofia Marion”.

Como adianta o comunicado, a prioridade da testagem será dada aos munícipes que já estiveram infectados e que têm, por esse motivo, testes PCR positivos. O objectivo é “aferir a perenidade [durabilidade] dos seus anticorpos e logo da potencial imunidade conferida”.

Os testes serológicos vão ser executados pelos laboratórios Germano de Sousa e Joaquim Chaves Saúde, através de um acordo com a Câmara. A iniciativa conta ainda com o apoio financeiro da Fundação Claude e Sofia Marion. O acordo entre as partes vai ser assinado esta sexta-feira, no edifício dos Paços do Concelho.

Testes com “elevada sensibilidade clínica e especificidade"

Os testes de anticorpos em questão foram recentemente lançados pela Roche Diagnostics, uma empresa farmacêutica suíça. “São uma tecnologia inovadora, que apresenta elevada sensibilidade clínica e especificidade” e serão utilizados “pela primeira vez em Portugal neste projecto em parceria com a câmara e as restantes entidades”, adianta ainda o comunicado.

Como avança o The Telegraph, o Reino Unido também vai utilizar os testes desenvolvidos por esta multinacional. A Public Health England aprovou, pela primeira vez, um teste de anticorpos e o Serviço Nacional de Saúde britânico estará em negociações com a Roche Diagnostics para comprar milhões de kits. A Câmara Municipal de Cascais confirmou ao PÚBLICO que os testes serológicos em causa são os mesmos.

Em Cascais, para se poder realizar o teste, cada munícipe terá primeiro de fazer prova de residência. Uma única pessoa pode registar toda a família - a marcação pode ser feita através da linha Cascais.

Os testes vão ser realizados através de colheitas de sangue nos mais de 18 laboratórios Germano de Sousa e Joaquim Chaves, localizados em Cascais. Além disso, a Câmara vai também disponibilizar equipas móveis de enfermeiros que se vão deslocar às residências dos grupos prioritários e de risco, para recolherem as amostras para análise.

O resultado é depois comunicado ao munícipe num espaço de 24 horas, por e-mail.

Câmara quer atingir os 5 mil testes semanais

O objectivo da Câmara é atingir os 5 mil testes semanais - capacidade máxima dos laboratórios nesta fase. Segundo a autarquia, esta limitação “obriga a que a operação se desenvolva nos próximos meses, o que vai permitir também conhecer a evolução da pandemia na população de Cascais”.

“O conhecimento é chave para encontrarmos soluções para diminuir o contágio. Tudo faremos para defender a população de Cascais e reduzir os riscos provocados por esta pandemia”, afirma Carlos Carreiras, presidente da Câmara, citado no comunicado de imprensa.

O objectivo da grande testagem é também permitir um “regresso faseado e criterioso das pessoas à actividade habitual”. Desta forma, será possível “obter um panorama mais realista sobre a prevalência de pessoas com potencial imunidade na população” e “preparar melhor o futuro”, em Cascais.

Texto editado por Ana Fernandes

Sugerir correcção