Nem o PS defendeu a transferência de 850 milhões para o Novo Banco

PSD, Bloco e CDS forçaram a discussão no Parlamento. Centeno delegou a defesa em Mourinho Félix que dramatizou: alternativa às injecções no fundo era a segunda resolução ou a liquidação do Novo Banco.

Foto
LUSA/JOÃO RELVAS

Da esquerda à direita, as bancadas parlamentares mostraram a sua indignação sobre a nova injecção de 850 milhões de euros ao Novo Banco (NB) sem que tenha sido conhecida a conclusão da auditoria, depois das palavras de conforto de Marcelo ao primeiro-ministro no desacerto entre este e Mário Centeno. A bancada socialista apostou tudo na recordação do passado, contra a solução para o Banco Espírito Santo adoptada no passado pelo Governo PSD/CDS. Só o secretário de Estado Mourinho Félix saiu em defesa da transferência dos 850 milhões para o NB.