Pedidos de ajuda alimentar dispararam. E vão continuar a aumentar

Instituições alertam que há novos perfis de quem recorre a ajuda alimentar, alguns da classe média. Cáritas aumentou 40% as ajudas, Santa Casa de Lisboa também reforçou, os vicentinos da Diocese do Porto triplicaram. Banco Alimentar já apoia mais 14 mil famílias desde pandemia. “Como pais, sentimo-nos impotentes por pedir ajuda. Mas, ao menos, não passamos fome”, diz quem recorreu a banco alimentar. Isabel Jonet avisa: pedidos vão prolongar-se no tempo.

Fotogaleria
Miguel Manso
Fotogaleria
LUSA/MÁRIO CRUZ

Quando percebeu que o dinheiro não ia chegar ao fim do mês, Marília lembrou-se da Cáritas. Fez uma busca na Internet e enviou uma mensagem àquela instituição, não teve coragem de agarrar no telefone. “Nunca tinha precisado, sempre trabalhei”, diz esta brasileira em Portugal desde 2003.