Bloco contra exclusão de diabéticos e hipertensos do regime de protecção laboral

Bloquistas manifestam estranheza pela alteração e perguntam se a Direcção Geral de Saúde foi consultada.

Foto
Moisés Ferreira questiona se a Direcção Geral de Saúde foi consultada LUSA/ANTÓNIO COTRIM

O Bloco de Esquerda manifestou esta quinta-feira a sua oposição à exclusão dos diabéticos e hipertensos dos regimes de protecção laboral.

Em requerimento enviado ao presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, o deputado bloquista Moisés Ferreira contesta a decisão do Ministério da Saúde e formula seis questões ao organismo liderado por Marta Temido.

“Vai o Governo recuar nesta exclusão e voltar a admitir que os doentes hipertensos e diabéticos que sejam considerados, pela sua situação clínica específica, especialmente vulneráveis ao novo coronavírus podem voltar a ter acesso a faltas justificadas ao trabalho?”, questiona o BE.

No requerimento, o Bloco questiona quais os motivos e evidências científicas que fundamentam esta decisão. "Foi a Direcção-Geral da Saúde consultada de forma a validar esta alteração e foram consultadas as sociedades científicas e associações de doentes?”, interrogam.

O Bloco manifesta a sua estranheza pela exclusão de pessoas que estão efectivamente em grupos de risco e alerta: “Muitos dos casos mais graves de Covid-19 parecem ter uma relação com patologias preexistentes, entre elas a hipertensão e a diabetes”.