Vodafone pontua melhor em estudo sobre serviços móveis no Norte

Zonas predominantemente rurais continuam com défices de cobertura e pior desempenho dos serviços, mesmo os de voz, conclui a Anacom.

Foto
A Anacom vai analisar a qualidade dos serviços móveis nas várias zonas do país PAULO PIMENTA

A Anacom prosseguiu com os estudos de qualidade de serviço às comunicações móveis nas diversas regiões do país. Depois da análise à prestação de serviços no Alentejo, publicada em Janeiro, a atenção do regulador voltou-se para a região Norte.

Esta avaliação ao desempenho de serviços móveis de voz e Internet, e à cobertura em segunda, terceira e quarta geração móveis (as tecnologias GSM, UMTS e LTE, respectivamente) abrangeu os distritos de Viana do Castelo, Braga, Porto, Vila Real e Bragança, e o norte dos distritos de Aveiro, Guarda e Viseu, num total de 86 municípios.

Os dados apresentados pela Anacom para esta região que se estende por 21,3 mil km2, ou “23% da superfície terrestre do país”, mostram que, nas cerca de duas dezenas de parâmetros avaliados, a Vodafone é a empresa que mais vezes se posiciona na primeira posição (19 vezes), ainda que muitas vezes se faça acompanhar neste lugar pelas rivais Nos e Meo.

Já no estudo relativo ao Alentejo, a Vodafone tinha destacado com a primeira posição na quase totalidade dos indicadores.

Segundo a análise para a região Norte (o trabalho de campo decorreu entre 3 e 13 de Fevereiro, antes das perturbações impostas pela crise de saúde pública), há pelo menos oito critérios em que as empresas comparam as três ao melhor nível, como a velocidade de transferência de dados quando os utilizadores tentam fazer upload de ficheiros.

Mas se for analisada, por exemplo, a velocidade de transferência nos downloads, então a Vodafone surge em primeiro lugar, a Meo em segundo e a Nos é a empresa que, das três, apresenta o pior desempenho.

A Meo é a empresa que mais vezes aparece isolada na terceira posição (quatro vezes), como é o caso da cobertura de 4G (LTE). Seja qual for a tecnologia, a Vodafone é sempre a empresa com melhor cobertura de rede, mas a Meo e a Nos empatam no 2G (GSM) e 3G (UMTS).

No 4G, a Nos está na segunda posição e é melhor do que a Meo, que surge em terceiro.

Na realização de chamadas de voz móvel, a Meo também é pior do que as rivais nos critérios qualidade de áudio e tempo de estabelecimento de chamadas. Nestes casos, a Vodafone é sempre a melhor classificada, e a Nos tem o segundo posto.

Se olharmos para a qualidade do serviço em sessões de vídeo streaming do Youtube, então as empresas estão empatadas em critérios como rácio de terminação de sessão de dados, tempo até início de visualização e duração de interrupções. Mas a resolução de vídeo da Vodafone é melhor e a Meo e a Nos empatam no segundo lugar. Na qualidade de vídeo, Vodafone e Nos empatam e a Meo vem em segundo.

Zonas sem cobertura

A Anacom conclui que existe “em média, boa cobertura rádio GSM e adequada cobertura rádio UMTS e LTE” no país, embora com diferença na prestação das empresas. Contudo, as áreas predominantemente rurais têm “pior desempenho” e as coberturas têm “alguma variabilidade”.

Segundo o regulador, observaram-se níveis de sinal de “muito boa” ou “boa” qualidade, “mas também outros que ficaram abaixo dos parâmetros adequados, nomeadamente em UMTS e LTE”, chegando mesmo a registar-se “níveis significativos de cobertura rádio “Inexistente” em zonas predominantemente rurais”.

O serviço de voz “apresentou bom desempenho global em todos os operadores”, mas nas áreas predominantemente rurais notou-se “uma acentuada degradação”, em particular no que diz respeito “às capacidades de estabelecimento e de retenção de chamadas”, acrescentou o regulador.