Covid-19. Lar que regista a maioria das mortes nos Açores vai ser encerrado para desinfecção

Santa Casa da Misericórdia do Nordeste, responsável pelo lar, queria decisão “há muito tempo”. Autoridade de Saúde dos Açores diz que “agora é que é o momento”.

A situação no lar do Nordeste começou com uma utente que foi infectada no Hospital Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, onde esteve internada
Foto
A situação no lar do Nordeste começou com uma utente que foi infectada no Hospital Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, onde esteve internada JOSé ANTONIO RODRIGUES

A Autoridade de Saúde dos Açores determinou esta terça-feira o encerramento da estrutura residencial para idosos da Santa Casa da Misericórdia do Nordeste – o lar de onde provêm dez das 14 mortes com covid-19 no arquipélago. O motivo: realizar uma desinfecção geral ao edifício que tornará o lar inoperacional durante 15 dias.

Devido à cadeia de transmissão que se propagou a partir do lar, o Nordeste tornou-se o concelho com o maior número de casos de covid-19 na região. No total, já foram detectados 54 casos positivos naquele concelho desde o início da pandemia. Actualmente, com os óbitos e os recuperados, são 32 os casos activos.

“O lar foi encerrado a pedido da Santa Casa. Aliás, desde que tivemos aquele número de infectados, a posição da mesa [responsável pela administração do lar] foi sempre essa. O lar não é nenhuma enfermaria ou hospital, não temos nem os meios nem as condições”, disse ao PÚBLICO José Carlos Carreiro, o provedor da Santa Casa da Misericórdia do Nordeste, destacando que o pedido foi sempre rejeitado pela Autoridade de Saúde.

No fim-de-semana passado, a Santa Casa da Misericórdia tomou “uma posição forte” e escreveu à entidade de saúde a “manifestar o seu desacordo” face à decisão de manter o lar aberto, pedindo para que os idosos “fossem retirados” de modo a realizar uma desinfecção geral ao edifício. Uma posição reforçada por uma missiva do presidente da Câmara do Nordeste António Miguel Soares dirigida a Vasco Cordeiro, presidente do Governo dos Açores, revela o provedor. “O encerramento resultou disso. É preciso situar. Há muito que eu venho dizendo que nós não somos uma estrutura de saúde”, reforçou José Carlos Carreiro.

A situação no lar do Nordeste começou com uma utente que foi infectada no Hospital Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada, onde esteve internada. A infecção foi conhecida a 7 de Abril e deu-se por contactos com profissionais de saúde que faziam parte de uma cadeia de transmissão com origem no concelho da Povoação.

Perto de um mês após ter sido conhecido o primeiro caso, surge o encerramento da instituição, determinado depois de ter sido registado mais um caso de covid-19 na região. O caso positivo, identificado uma vez mais no Nordeste, é de um profissional do lar, com 23 anos, que ia entrar ao serviço nos próximos dias depois de ter estado de quarentena num alojamento local destinado para o efeito.

Os profissionais da instituição encontram-se a trabalhar por equipas e num sistema rotativo, conforme tinha avançado o presidente da Câmara do Nordeste ao PÚBLICO no passado fim-de-semana, quando o Governo Regional decidiu manter a cerca sanitária naquele concelho.

Apesar do novo caso, a justificação apresentada pela Autoridade de Saúde Regional para determinar o encerramento do lar de idosos recaiu sobre o número de recuperados apresentados nos últimos dias. “Por via desse número de recuperados, estamos a ir ao encontro da nossa metodologia, que difere da do continente, em que vamos diferenciar todos os casos. Ou seja, os casos positivos não se vão misturar com os casos negativos e os casos negativos não se vão misturar com os casos recuperados”, explicou aos jornalistas Tiago Lopes, responsável da Autoridade de Saúde dos Açores.

Frisando que “agora é que é o momento”, Tiago Lopes recordou que foi criada a 10 de Abril uma enfermaria destinada a doentes com covid-19 no centro de saúde do Nordeste para “não sobrecarregar” o Hospital Divino Espírito Santo, em Ponta Delgada. Só agora, segundo a Autoridade de Saúde, com a diminuição dos casos de covid-19 na região, fruto do aumento dos recuperados, será possível deslocar os utentes da estrutura residencial do Nordeste.

Os 13 idosos que se encontravam no lar serão transferidos para o centro de saúde do Nordeste. Esses utentes, que já tinham tido testes negativos à covid-19 no passado, foram novamente testados na segunda-feira. “Ainda nem sabemos o resultado dos testes”, realçou o provedor da Santa Casa. Por sua vez, dos 12 utentes que estavam no centro de saúde do Nordeste sete vão ser transferidos para o Hospital Divino Espírito Santo e cinco, já recuperados, vão ser deslocados para o centro de saúde do concelho da Povoação, onde será criada uma enfermaria para recuperados do novo coronavírus. No Hospital Divino Espírito Santo estão ainda outros sete idosos.

Esta terça-feira foram registadas 11 recuperações de covid-19 nos Açores. O número de recuperados está a aproximar-se do número de infetados na região. Desde o início do surto, já foram registados 144 casos de covid-19 nos Açores: 66 estão activos e 64 já recuperaram. Dos activos, 50 estão em São Miguel, dois na Terceira, dois na Graciosa, dois em São Jorge, cinco no Pico e outros cinco no Faial.

Sugerir correcção