Acidentes na estrada baixaram ainda antes do estado de emergência

De 1 de Janeiro a 18 de Março deste ano, houve menos 22 mortes do que no mesmo período de 2019. Também foram registados menos feridos graves e ligeiros. A partir da entrada em vigor do estado de emergência, acidentes com vítimas mortais caíram 75%.

Houve redução da sinistralidade no primeiro trimestre do ano, mesmo antes da entrada em vigor do estado de emergência
Foto
Houve uma redução da sinistralidade no primeiro trimestre do ano, mesmo antes da entrada em vigor do estado de emergência por causa da covid-19 nelson garrido

O número de acidentes com vítimas (feridos ligeiros, graves ou mortes) diminuiu em Portugal no primeiro trimestre de 2020. Em comparação com o período homólogo de 2019, houve menos 1303 acidentes com vítimas (-16,2%), menos 35 mortes (-29,9%), menos 82 feridos graves (-16,8%) e menos 1615 feridos leves (-16,7%), de acordo com os dados divulgados no relatório de sinistralidade e fiscalização da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR).

As descidas acentuadas são explicadas pela declaração do estado de emergência a 19 de Março por causa da pandemia de covid-19, que obrigou muita gente a ficar em casa e levou a “significativas reduções no tráfego e na sinistralidade rodoviária”. De 19 a 31 de Março, “todos os indicadores de sinistralidade apresentaram uma tendência decrescente muito acentuada, quando comparados os dados de 2020 com os dados dos últimos quatro anos.

Em relação a 2019, houve menos 865 acidentes com vítimas (-72,5%), menos 12 vítimas mortais (-76,5%), menos 40 feridos graves (-66,7%) e ainda menos 1065 feridos leves (-74,9%).

Apesar disso, a análise da ANSR do período anterior à entrada no estado de emergência, de 1 de Janeiro a 18 de Março, mostra que até então já se verificava tendência decrescente de todos os indicadores. Em relação ao mesmo período do ano anterior, foram registados menos 438 acidentes com vítimas (-6,4%), menos 22 mortes (-22%), menos 42 feridos graves (-9,8%) e menos 550 feridos leves (-6,7%).

O relatório do primeiro trimestre do ano apresenta também dados de fiscalização, dando conta de “cerca de 32,5 milhões de veículos” fiscalizados, um aumento de 58,9% face ao primeiro trimestre de 2019, que resultaram na identificação de mais de 353 mil infracções, mais 2%.

Sugerir correcção