Revisora agredida com uma garrafa na Linha de Sintra

Funcionária da CP levou quatro pontos na cabeça depois de agredida com uma garrafa de vinho por passageira alcoolizada.

,Transporte público
Foto
daniel rocha

Uma revisora da CP foi agredida nesta quinta-feira, pelas 16h00, na Estação das Mercês, na Linha de Sintra, por uma passageira que lhe bateu com uma garrafa na cabeça. A passageira, que aparentava estar alcoolizada, tinha-se sentado numa zona da primeira carruagem do comboio, junto à cabina de condução, que está reservada para a tripulação. Instada a mudar de lugar para manter a distância de segurança, a mulher acatou a indicação da revisora, mas passou a viagem a ofendê-la verbalmente. Quando saiu, na Estação das Mercês, agrediu-a com uma garrafa de vinho.

A funcionária da CP, que chegou a ser ajudada por alguns passageiros, foi transportada pelo INEM ao hospital de Amadora-Sintra tendo levado quatro pontos na cabeça. O comboio acabaria por ser suprimido entre Mercês e Sintra, tendo provocado vários atrasos noutras composições.

A revisora agredida, uma das dez mulheres que fazem serviço nas linhas suburbanas de Lisboa, foi a mesma que em Agosto de 2018 foi atacada por um passageiro que a agarrou pelos cabelos e a arrastou pela carruagem depois de esta ter intervindo ao ver que o homem estava a agredir outra mulher. Nessa altura também teve de receber tratamento hospitalar e ficou de baixa.

Luís Bravo, do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial e Itinerante (SFRCI), diz que estes casos são recorrentes e que o sindicato pretende alterações legislativas que punam verdadeiramente os agressores de quem trabalha nos comboios.

Sugerir correcção