Dar espaço ao artista que há em nós

Helena Almeida dá o mote para o terceiro momento do projecto Arte Contemporânea em CAS(A), promovido pelo Centro de Artes de Sines.

Foto
DR

Numa semana marcada pelas comemorações do Dia Mundial da Dança, celebrado a 29 de Abril, é Helena Almeida (1934-2018) quem dá o mote para o terceiro momento do projecto Arte Contemporânea em CAS(A), promovido pelo Centro de Artes de Sines (CAS), depois de Lourdes Castro e Rui Chafes.

A artista plástica portuguesa, para quem o corpo era parte integrante da obra, definindo e ocupando o espaço num permanente acto performativo, serve de musa inspiradora ao desafio agora proposto, válido até 3 de Maio, em que se convida o público a “criar a sua própria obra de arte a partir de um objecto do quotidiano de casa”.

O ponto de partida é Seduzir, uma série em fotografia e tinta acrílica de Helena Almeida, onde “os sapatos pretos de salto alto são mais do que um acessório, são um símbolo que remete para a sedução feminina”.

O auto-retrato deverá incluir a encenação e uma linha coreográfica em que o sujeito interage com o objecto, que aqui se pede que seja um pente ou uma escova de cabelo.

As obras de arte contemporânea devem ser enviadas para servicoeducativoCAS@mun-sines.pt. Depois, serão partilhadas nas moradas digitais do CAS e do município. Com o equipamento de portas fechadas, esta é mais uma forma de manter a ligação ao mundo das artes.