Governo quer encaminhar parte dos imigrantes do turismo para a agricultura

A primeira secretaria de Estado para a Integração e as Migrações foi criada neste Governo. À frente desta pasta, Cláudia Pereira revela em entrevista que o Governo quer “descentralizar” as zonas onde aloja os requerentes de asilo e os imigrantes. Modelo está a ser revisto.

Foto
Em relação à habitação para imigrantes e requerentes de asilo o plano é “descentralizar”

A primeira secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira, tem tido dias agitados desde que foi decretado o estado de emergência. Entre a morte de um cidadão ucraniano no aeroporto de Lisboa, noticiado no final de Março, ou o caso de 136 cidadãos requerentes de asilo que estavam infectados com SARS-CoV-2, a viver num hostel sobrelotado na Morais Soares, em Lisboa, a política de imigração e de asilo em Portugal tem estado em foco nas notícias. No ano passado, a imigração atingiu um máximo de 580 mil cidadãos. Numa altura em que a Segurança Social tem um papel fulcral na vida do país, um dos factos repetidos é o saldo positivo de 651 mil milhões de euros com que os imigrantes contribuíram para este fundo.

Sugerir correcção