Covid-19: OMS garante que “agiu de forma rápida e determinada”

Num balanço após quase quatro meses da detecção do surto do novo coronavírus, Tedros Ghebreyesus disse que a OMS “soou o alarme rapidamente e reiteradamente” desde os primeiros sinais dados a 31 de Dezembro de 2019 em Wuhan, na China.

,Diretor-Geral da Organização Mundial da Saúde
Foto
OMS vau voltar a reunir na quinta-feira o comité de emergência Reuters/Denis Balibouse

Tedros Ghebreyesus disse, esta quarta-feira, que a Organização Mundial de Saúde (OMS) agiu de forma rápida e determinada desde o início da pandemia, acrescentando que a autoridade da saúde vai reunir na quinta-feira o comité de emergência para avaliar a progressão da pandemia de covid-19, quase quatro meses depois de a organização ter detectado o surto do novo coronavírus.

O anúncio foi feito pelo director-geral da organização, Tedros Ghebreyesus, que afirmou que o comité vai analisar toda a “nova informação” reunida sobre a pandemia desde a última reunião, que aconteceu a 30 de Janeiro.

“Desde o início [do surto], a OMS agiu de forma rápida e determinada”, argumentou, acrescentando que a organização “soou o alarme rapidamente e reiteradamente” desde os primeiros sinais de alarme dados a 31 de Dezembro de 2019, quando o sistema de alerta epidemiológico tomou nota de um conjunto de casos de pneumonia de origem desconhecida na cidade chinesa de Wuhan.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 217 mil mortos e infectou mais de 3,1 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Perto de 860 mil doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 973 pessoas das 24.505 confirmadas como infectadas, e há 1470 casos recuperados, de acordo com a Direcção-Geral da Saúde.

Sugerir correcção