Fim dos campeonatos de andebol, basquetebol, hóquei e voleibol

Decisão conjunta foi comunicada nesta quarta-feira pelas quatro federações. Não haverá campeões em nenhuma das modalidades.

Foto
LUSA/PAULO NOVAIS

Ponto final na temporada 2019-20 para mais quatro modalidades de pavilhão em Portugal. Depois da paragem definitiva do futsal, por decisão da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), foi a vez de o andebol, o basquetebol, o hóquei em patins e o voleibol também fecharem a época para balanço, como consequência da pandemia de covid-19 que praticamente paralisou o país desde Março.

Esta tomada de posição foi assumida num comunicado conjunto das quatro federações, que já antes se haviam juntado para exigir ao Governo uma revisão regulamentar que lhes permitisse adaptarem-se às novas circunstâncias. Essa alteração avançou, permitindo que a presente temporada fosse concluída fora do prazo inicialmente previsto, mas o entendimento comum foi de que não estavam reunidas as condições de saúde pública necessárias para fechar o ciclo.

A decisão de atalhar a época significa, em toda a linha, a ausência de atribuição de títulos nacionais. “Na época 2019/2020, não será atribuído qualquer título de campeão nacional, em qualquer categoria das quatro modalidades”, pode ler-se no comunicado.

A mesma uniformidade já não se aplica às descidas de escalão. No andebol, no basquetebol e no voleibol optou-se por não avançar com despromoções (com excepção dos casos em que estivessem matematicamente confirmadas), ao contrário do que sucederá no hóquei em patins, em que a intenção é disputar, entre os meses de Agosto e de Setembro, uma “liguilha” (que juntará primeiros classificados da II divisão e últimos da I, tal como primeiros da III e últimos da II) para determinar a reorganização dos escalões.

Quanto às subidas de divisão, que no caso do hóquei estarão incluídas na “liguilha”, haverá “competições de apuramento em todos os níveis competitivos, excepto nos casos em que as federações já tenham comunicado a atribuição de direitos desportivos”. A ideia é que essas competições venham a ser realizadas no início da época 2020-21, em moldes a anunciar.

A Federação Portuguesa de Basquetebol também já fez saber que, na próxima temporada, “os clubes que entendam não estar em condições para participar no nível competitivo para o qual têm direito desportivo, podem inscrever-se num nível abaixo sem qualquer penalização desportiva ou disciplinar”. É uma forma de mitigar o impacto financeiro provocado pelo cancelamento da prova, que poderá afectar a planificação da época que se segue.

E se a classificação vigente no momento da interrupção dos campeonatos não serviu para coroar o campeão ou determinar, em três dos casos, despromoções, a verdade é que será utilizada para designar os clubes que vão competir nas provas europeias da próxima temporada.