O Mundo Não Acaba Assim, vídeo-chamadas da Internet para a televisão

Há um novo formato de ficção feita em casa dos intervenientes. Começou no mundo digital, agora estreia-se na RTP1: esta terça-feira, às 21h30.

Foto
João Craveiro e Teresa Tavares numa das histórias de O Mundo Não Acaba Assim, o novo formato de vídeo-chamadas ficcionais da RTP1 DR

Em Março, com o confinamento de uma boa parte das pessoas, nasceu, no Facebook e no YouTube, Chamadas Para a Quarentena, uma série de curtos episódios feitos à distância em que a própria narrativa envolve vídeo-chamadas entre pessoas que não podem estar juntas fisicamente devido à pandemia.

Agora, com um novo nome, O Mundo Não Acaba Assim, e alargado para episódios de 25 minutos, cada um com várias histórias, este formato, feito nestes dias e para estes dias, chega à RTP1 esta terça-feira, às 21h30. Gaba-se de ser a primeira ficção portuguesa concretizada nestes moldes, ou seja, inteiramente rodada em casa dos seus intervenientes – já muita programação adoptou as contingências dos tempos que atravessamos hoje, mas a ficção audiovisual tinha até aqui ficado de fora.

Os textos, alguns deles repescados da série da Internet, continuam a ser escritos e realizados por Artur Ribeiro, Filipe Homem Fonseca, Luís Filipe Borges, Nuno Duarte e Tiago R. Santos, e interpretados por actores que vão de Jani Zhao a Sabri Lucas e Pompeu José a João Lagarto, passando por Ana Rita Clara, Sofia Vasconcelos, Anna Eremin, Raquel Rocha Vieira, Paula Lobo Antunes, Sofia Grillo, Heitor Lourenço, Jorge Vaz Gomes, Mafalda Rodrigues, Luís Marvão ou Sandra Santos, cada um em sua casa.

A série terá uma pré-apresentação, às 18h, com um livestream na conta de Instagram da RTP, em que Filipe Homem Fonseca, um dos autores, conversará com vários dos actores.