Rosas de jardim
Paulo Pimenta
Andreu Claret

“O 25 de Abril permitiu-nos sonhar com uma mudança democrática em Espanha”

Andreu Claret, jornalista e escritor catalão, era em 1974 o delegado da revista Cambio 16 em Barcelona. Mal soube da revolução em Portugal meteu-se a caminho de Lisboa num Seat 600 para ver in loco como o país vizinho se libertara de uma ditadura. Voltará três meses depois para escrever uma extensa reportagem sobre os “Cem dias de liberdade” em Portugal e entrevistar as figuras políticas do momento: Otelo, Mário Soares e Álvaro Cunhal.

Como muitos jovens jornalistas e intelectuais espanhóis comprometidos com a luta contra o franquismo, Andreu Claret entusiasma-se com a revolución de los claveles e procura contagiar Espanha com os novos ares de liberdade que vinham do país vizinho. Ele que, ainda por cima, nascera em França, porque os pais eram exilados republicanos que tinham fugido das tropas de Franco quando este invadiu Barcelona. Por isso, em 1975 publicará o livro Portugal: Hablan los Capitanes, em que reúne um conjunto de entrevistas com destacados oficiais do MFA “com o objectivo de explicar ao público espanhol como foi possível que os militares que eram a coluna vertebral do regime trouxessem a democracia”.