Covid-19: uso de cartões para pagamentos caiu 46% no estado de emergência

Desde que foi decretado o estado de emergência, Banco de Portugal detecta “redução sem precedentes” nas transacções com cartão, num montante equivalente a 1,4% do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019.

Cabeleireiro
Foto
Rui Gaudencio

O montante dos levantamentos e das compras efectuadas com meios de pagamento como o Multibanco caiu 46% entre o período compreendido entre os dias 19 de Março (data em que começou a vigorar em Portugal o estado de emergência) e 20 de Abril. É “uma redução sem precedentes”, como avança o Banco de Portugal, em comunicado, revelando como a pandemia de covid-19 está a ter “um impacto significativo na actividade dos agentes económicos nacionais, sejam eles consumidores, empresas, bancos ou organismos da Administração Pública”. 

De acordo com o Banco de Portugal, os portugueses terão levantado, em média, menos 34 milhões de euros por dia e efectuado menos 56 milhões de euros de compras. A redução das transacções com cartão verificada ao longo deste período equivale a 1,4% do Produto Interno Bruto (PIB) de 2019. Em Março de 2020, foram efectuadas 167,4 milhões de operações com cartão, no valor de 9,2 mil milhões de euros. Estes números correspondem a decréscimos de 19,4% em número e de 10,2% em valor, relativamente ao mesmo período do ano anterior, e são explicados pela redução dos levantamentos, das compras e das operações de baixo valor. 

Segundo os mesmos dados, a redução verificou-se nos levantamentos de numerário (levantaram-se 1,9 milhões de euros, uma queda de 20,4%) e nas compras (uma redução de 16,2%, no valor de 3,3 milhões de euros). E é possível perceber o impacto do fecho do turismo nestes resultados: os estrangeiros gastaram menos 182 milhões de euros em compras e efectuaram menos 34 milhões de euros de levantamentos de numerário. 

Da análise aos sectores em que as compras com cartão são mais relevantes, o Banco de Portugal detectou que o comércio a retalho foi o único que registou uma variação homóloga positiva em Março de 2020, e mesmo essa foi residual, de 0,1%.

“As compras com cartão efectuadas nos restantes sectores diminuíram entre 7% (no comércio por grosso) e 56% (no alojamento). O sector mais afectado em termos absolutos foi o da restauração, com uma redução de 229 milhões de euros face ao transaccionado no período homólogo”, diz o Banco de Portugal em comunicado.

Sugerir correcção