,Brent Crude
LUSA/ETIENNE LAURENT

Petróleo e coronavírus aceleram nova desordem mundial

A combinação entre a pandemia e a queda da receita petrolífera pode vir a ser explosiva, fomentando a instabilidade, ou talvez revoltas, em várias regiões do planeta. Angola será um dos exemplos mais críticos.

A pandemia da covid-19 e a queda brutal do preço do petróleo combinam-se para provocar uma nova desordem mundial. Se o mundo está a braços com o coronavírus, a maioria dos países produtores de petróleo vê juntar-se à devastação da doença outra inesperada praga: uma dupla crise económica. Por um lado, os efeitos da paralisação da economia e, por outro, uma brutal quebra da renda petrolífera. Esta combinação pode ser explosiva, redundar em tragédias e convulsões político-sociais. Que sucederá em países produtores como Angola, Venezuela, Argélia, Nigéria ou Iraque? Alguns falam no cenário de “desmoronamento sanitário” de alguns Estados.