A festa (virtual) do Theatro Circo de Braga

O teatro comemora os 105 anos com uma festa num formato que não estava nos planos, mas que assegura uma celebração à altura e à medida dos tempos que correm.

Foto
DR

A 21 de Abril de 1915 era inaugurado o edifício do Theatro Circo de Braga, projectado pelo arquitecto João de Moura Coutinho.

Readaptado e moldado pela evolução das próprias necessidades culturais, ao longo de décadas de actividade, o espaço acolheu artistas e produções das mais diversas áreas, do teatro ao cinema, passando pela música, ópera, bailado e exposições. É também a casa da Companhia de Teatro de Braga.

Nesta terça-feira, comemora os 105 anos com uma festa num formato que não estava nos planos, mas que assegura uma celebração à altura e à medida dos tempos que correm.

Para mostrar que “um teatro cabe sempre dentro de uma casa”, o Theatro Circo abre as portas a todos, convidando a entrar numa Visita Virtual 360º e percorrer os espaços do edifício. A partir das 13h, o programa é alimentado por mais de 20 artistas que partilham performances intimistas, em directo das suas contas de Instagram.

No alinhamento há música, dança e poesia, trazidas por Tainá, Mr. Gallini, Jorge Coelho, Carne Doce, Joana Gama, Luís Figueiredo, LaBaq, Cachupa Psicadélica, André Henriques, Angélica Salvi, Márcia, Cristina Branco, Ana Moura, Rita Redshoes, Selma Uamusse, Pedro Abrunhosa, Conan Osiris, Duarte Valadares, Mara Andrade, Valter Hugo Mãe, Adolfo Luxúria Canibal e António Durães. A fechar a cortina, por volta da meia-noite, entra em cena Drag Queen, Doll Maron.