Argentina dá conselhos sobre sexo virtual aos amantes em confinamento

A quarentena por causa do coronavírus levou a um aumento nas vendas de brinquedos sexuais em países que vão da Dinamarca à Colômbia.

Foto
Sozinho ou acompanhado, há regras de higiene a cumprir Paulo Pimenta

Lavar as mãos a seguir ao acto sexual, seja presencial ou virtual. Este é o conselho que o médico Jose Barletta, do Ministério da Saúde da Argentina, deu aos seus concidadãos numa aula de educação sexual na televisão, em tempos de confinamento por causa da pandemia de covid-19.

Barletta foi muito claro — "É mais importante do que nunca lavar as mãos depois de ter relações sexuais, depois de masturbação ou sexo virtual.” –, e específico: “É importante desinfectar teclados, telefones, brinquedos sexuais e qualquer outra coisa que possa usar, esteja ou não compartilhando essas coisas com outras pessoas.”

A quarentena por causa do coronavírus levou a um aumento nas vendas de brinquedos sexuais em países que vão da Dinamarca à Colômbia. Na Argentina o estado de emergência começou a 20 de Março e vai até 26 de Abril. Até agora, o país registou 2669 casos confirmados de coronavírus, 122 fatais.

O presidente de centro-esquerda do país, Alberto Fernandez, que foi elogiado por ser um dos primeiros líderes da América Latina a impor medidas restritivas com o objectivo de retardar a propagação da pandemia, foi questionado sobre estas preocupações do seu ministério em relação ao sexo e à higiene. “Se é o que o Ministério da Saúde diz, deve ouvir”, respondeu.

Sugerir correcção