Covid-19: Vendas de automóveis com aposta no online e nas entregas ao domicílio

Com as exposições dos concessionários fechadas e os apelos para reduzir ao essencial os contactos presenciais, as marcas reforçam os canais digitais e anunciam entrega de carro em casa.

Foto
Jaromír Kavan/unsplash

A Kia acaba de lançar, esta semana, o Vibe, uma plataforma de compra de automóveis online que permite, sem sair de casa, fazer todo o processo até à finalização da transacção. Caso, pelo meio, haja necessidade de um test-drive, o mesmo também pode ser solicitado por via digital, indo o veículo ter com o futuro cliente — uma funcionalidade, porém, que só ficará disponível após ultrapassadas as medidas de mitigação do surto de covid-19.

O Vibe (Virtual Buying Experience) é uma plataforma de e-commerce que permite cumprir todos os passos da aquisição de um automóvel a partir de um dispositivo digital, desde a escolha do modelo e versão até à finalização da compra e a entrega do carro, passando pelo financiamento. Ao longo do processo, é possível fazer uma visita guiada a cada automóvel em directo, acedendo por vídeo a um estúdio de 500m2, criado de raiz para o efeito, onde dois consultores podem mostrar as viaturas em tempo real e interagir com o potencial comprador.

Porém, as vendas não deixam de ser realizadas via concessionário, explicando o director-geral da marca no país, João Seabra, que “o objectivo da MCK, importador da Kia para Portugal, foi o de proporcionar mais um canal de mercado à sua rede de concessionários”. Ou seja, por defeito, e salvo indicação em contrário, cada potencial cliente que acede ao Kia Vibe é atribuído a um concessionário em função do código postal inserido quando o seu registo. “Este é, acima de tudo, um investimento do importador para a sua rede de distribuição”, reforçou Seabra, em conferência de imprensa também online.

Reforço no online

A aposta da marca sul-coreana começou a desenhar-se muito antes da actual situação de pandemia, mas o contexto presente leva a que a Internet assuma um lugar de destaque em quase todas as dimensões das nossas vidas. E se os números apresentados em vários estudos indicam que apenas pouco mais de 10% das vendas automóveis eram até há dois meses feitas online, hoje a tendência pode levar a um aumento desta forma de comercializar um carro — talvez mais fácil de conquistar adeptos com os novos do que com o mercado de usados. E o exposto explica a forma como muitas marcas se adaptaram a estes tempos, lançando soluções semelhantes.

Uma das primeiras a reagir foi a Volkswagen, disponibilizando um serviço de entrega de carro novo ao domicílio do cliente. O serviço, gratuito, foi lançado no início do mês, em simultâneo com uma campanha de oportunidades online, para um número limitado de carros novos, válida mediante reserva no site português.

Também a Toyota passou a propor a aquisição à distância, colocando cada concessionário como intermediário e assegurando a entrega do veículo “devidamente higienizado” no domicílio sem custos extra, enquanto a Hyundai “desenvolveu uma página dedicada à disponibilização de conteúdos digitais”, com conselhos de manutenção e serviço de marcação online da mesma, com opção de entrega e recolha do automóvel na morada pretendida pelo cliente, “para evitar deslocações adicionais”.

Tanto a Peugeot como a Opel lançaram as suas Webstore, nas quais “os clientes particulares e profissionais podem, no actual contexto de saúde pública, continuar a adquirir as viaturas necessárias à sua mobilidade”, com “ferramentas que lhes permitem escolher, comparar, reservar, comprar e agendar a entrega ao domicílio, fazendo todo o processo à distância”.

Do mesmo grupo francês, a Citroën lançou a Carstore, com possibilidade de adquirir uma viatura “a partir de smartphone, tablet ou PC”, que pode ser entregue em casa através do novo serviço gratuito @Home Delivery, enquanto a DS criou a Online Store, com o serviço DS Valet para a entrega de veículo, mas também para apoio em processos de assistência e avaliação.

O grupo FCA em Portugal respondeu a esta crise com a adopção, já esta semana, do programa Car@Home, com o qual se garante o contacto entre clientes e interessados e os concessionários — “abertos virtualmente e disponíveis por videoconferência [recorrendo à Google Hangouts Meet] para prestarem todos os esclarecimentos, apoiarem na escolha de um automóvel e apresentarem propostas de aquisição”.