Poluição atmosférica desceu cerca de 50% em várias cidades europeias

O dióxido de azoto é um dos principais gases poluentes na atmosfera, provoca problemas respiratórios e é gerado pelo funcionamento de centrais eléctricas, veículos e instalações industriais.

Em Paris registam-se variações grandes no dióxido de azoto
Foto
Em Paris registam-se variações grandes no dióxido de azoto Reuters/Charles Platiau

A poluição atmosférica em algumas das maiores cidades europeias desceu cerca de metade nos últimos 30 dias, a partir da imposição de medidas de confinamento por causa da pandemia da covid-19.

A partir das medições do satélite europeu Sentinel-5p, a Agência Espacial Europeia anunciou nesta quinta-feira que as concentrações no ar de dióxido de azoto, entre 13 de Março e 13 de Abril, baixaram 54 por cento em Paris, por comparação com o mesmo período do ano passado. Em Madrid, a descida foi de 48%, enquanto o ar em Roma ficou com menos 49% de dióxido de azoto. Em Milão, a descida atingiu 47%.

O dióxido de azoto é um dos principais gases poluentes na atmosfera, provoca problemas respiratórios e é gerado pelo funcionamento de centrais eléctricas, veículos e instalações industriais.

Os níveis de concentração na atmosfera variam diariamente em função das emissões e das condições meteorológicas, pelo que precisam de ser analisados ao longo de períodos prolongados para se tirarem conclusões, afirmou à agência Efe o meteorólogo Kenk Eskes, do Instituto Meteorológico dos Países Baixos.

A equipa desta instituição analisa há meses os dados de satélite disponíveis e vai concentrar-se nas próximas semanas em outros países do norte da Europa, onde se verificaram variações maiores por causa de mudanças nas condições meteorológicas.

Sugerir correcção