Nova Telescola também vai estar na Internet

RTP cria plataforma online e aplicação para telemóveis e tablets em que os conteúdos do #EstudoEmCasa estarão disponíveis. Professores vão ter acesso ao guião dos programas.

,Educação a Distância
Foto
LUSA/ANTÓNIO PEDRO SANTOS

A nova Telescola vai para o ar a partir da próxima segunda-feira e, depois de serem emitidos no canal RTP Memória diariamente, os seus conteúdos vão estar disponíveis na Internet. A RTP criou uma plataforma online e uma aplicação para telemóveis e tablets, em que será possível rever cada um dos programas. Assim, mais ecrãs dentro de uma mesma casa estão em condições de acompanhar as sessões e os professores podem recuperar as matérias depois de estas terem sido exibidas.

A disponibilização dos conteúdos do #EstudoEmCasa, o nome da nova Telescola, na Internet foi anunciada esta quarta-feira, pelo director da RTP Memória, na apresentação do novo formato, que começa a ser emitido na segunda-feira e será um complemento ao trabalho à distância que os professores do ensino básico vão continuar a fazer até ao final do ano lectivo, devido à pandemia de covid-19.

A emissão linear na RTP Memória continua a ser o formato primordial para a emissão das aulas, mas esses conteúdos vão estar disponíveis, posteriormente, numa plataforma online exclusiva para o #EstudoEmCasa, com os conteúdos organizados por disciplina, mas que assenta na mesma mecânica do RTP Play. Os mesmos conteúdos serão também disponibilizados numa aplicação móvel para telemóvel e tablet.

A RTP garante que a plataforma do #EstudoEmCasa será “muito segura” para responder ao expectável aumento de acessos por parte dos alunos e dos professores a partir da próxima segunda-feira.

Para responder ao período de confinamento dos alunos até ao 10.º ano, que se prolongará até ao final do ano lectivo, o canal público de televisão reforçou também os conteúdos destinados a crianças em idade pré-escolar na RTP2 e disponibilizou novos programas na plataforma RTP Ensina, lançada em 2014 e que reúne conteúdos educativos em vídeo, áudio e infografias divididos por matérias.

Na sessão de apresentação do #EstudoEmCasa, esta quarta-feira, o primeiro-ministro, António Costa, valorizou que esta iniciativa não quer “relembrar a velha Telescola”, mas “criar uma escola do tempo de hoje, com conteúdos de hoje e com as tecnologias de hoje”. Na ocasião, reforçou a promessa de “no início do próximo ano lectivo” ser assegurada a “universalidade do acesso digital, quer de rede quer de conteúdos” a todos os alunos do ensino básico e secundário.

O essencial sobre a nova Telescola já era conhecido desde a semana passada. As aulas pela televisão destinam-se aos alunos do 1.º ao 9.º ano de escolaridade, serão transmitidas entre as 09h e as 17h50 de segunda a sexta-feira pela RTP Memória, estando as manhãs geralmente reservadas aos mais novos e as tardes aos do 3.º ciclo. As sessões terão 30 minutos em vez dos 45 ou 90 minutos habituais nas escolas e não faltará a Educação Física apesar de os conteúdos serem transmitidos pela televisão. 

“Mais do que aulas, são blocos pedagógicos temáticos de largo espectro”, explicou o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues. Os professores nas escolas de todo o país vão ter acesso a um guião de cada um dos programas, de modo a poderem preparar o seu trabalho de ensino à distância fazendo uso dos conteúdos do #EstudoEmCasa. Essa informação começará a chegar às escolas ainda esta semana.

Sugerir correcção