Vizela pede resposta diferenciada para a região Norte

António Costa vai receber carta de Vítor Hugo Salgado, autarca independente, que está preocupado com a evolução da pandemia na região Norte do país.

Foto
Presidente da Câmara de Vizela, Vítor Hugo Salgado ADRIANO MIRANDA

O presidente da Câmara de Vizela está “muito preocupado” com a situação no concelho e vai pedir ao Governo “medidas de carácter excepcional” de protecção à saúde das populações, à economia da região Norte por estar “a ser arrasada sanitária e economicamente pelo surto do novo coronavírus”.

Atendendo ao contexto que se vive no Norte do país – “a região apresenta 9264 casos positivos de covid-19 para um total nacional de 15.987 pessoas infectadas, correspondendo a sensivelmente 60% do número de infectados em Portugal” –, Vítor Hugo Salgado vai escrever ao primeiro-ministro ainda esta semana, pedindo medidas além daquelas que o Governo anunciou recentemente quer para as empresas quer para as famílias.

Ao PÚBLICO, o autarca independente afirma que o “Governo e o país vão ter de olhar para o Norte de uma forma diferente”, explicando que a crise que se instalou no país por causa da pandemia só veio evidenciar “ainda mais” a crise em que a indústria têxtil atravessa. “Vizela é um concelho com muita mão-de-obra intensiva, o que torna impossível o teletrabalho, mas facilita a disseminação de covid-19”, argumenta Vítor Hugo Salgado, vaticinando o encerramento de muitas das empresas que se encontram em layoff.

Se a ministra da saúde não recuar na decisão, como esperam os autarcas, a única informação que poderá ser divulgada sê-lo-à pela Direcção-Geral de Saúde e isso deixa-os preocupados porque – dizem – a decisão “compromete” alguns dos procedimentos que têm de tomar.