Movimento dos Trabalhadores em Arquitectura lança inquérito ao impacto da covid-19

Objectivo é recolher informação sobre os efeitos da pandemia nas condições laborais do sector.

,Caderno
Foto
DR

O recém-formado Movimento dos Trabalhadores em Arquitectura (MTA) lançou esta terça-feira um inquérito aos trabalhadores do sector com o objectivo de “recolher informação concreta sobre o impacto das medidas de contenção à covid-19” no seu trabalho e nos seus direitos laborais.

Em comunicado, o MTA explica que o inquérito está organizado em duas partes: a primeira destina-se a caracterizar a situação laboral do trabalhador; a segunda procura “identificar as consequências provocadas pela crise epidemiológica, nomeadamente ao nível de cortes no salário e subsídios, alteração da forma de prestação do trabalho (teletrabalho) ou alterações ao vínculo de trabalho”. 

De participação voluntária e garantindo o anonimato das respostas, esta iniciativa permitirá aos trabalhadores do sector da arquitectura fazer “a denúncia de situações laborais injustas ou irregulares”, explica o MTA. Mais informação sobre o inquérito pode ser pedida através deste endereço: [email protected].

Lançado no ano passado, na sequência de uma série de encontros, no Porto, para reflectir sobre as condições laborais dos profissionais da área, em particular dos assalariados, o movimento salientou, desde o início, os baixos salários, os falsos recibos verdes e o abuso de estágios profissionais entre as situações que mais vêm afectando a normal carreira dos arquitectos.

Sugerir correcção