163 militares da GNR e agentes da PSP infectados

Cerca de 500 estão actualmente em confinamento, embora desde o início da pandemia já tenham sido cerca de 800 os que estiveram submetidos à quarentena.

Foto
Ministro da Administração Interna fez um novo balanço LUSA/MIGUEL A. LOPES

Num balanço da Operação Páscoa, o ministro da Administração Interna revelou na manhã desta terça-feira que 163 militares da GNR e agentes da PSP estão infectados pelo novo coronavírus.

“Quero prestar o meu reconhecimento aos 35 mil homens agentes da PSP e militares da GNR que estiveram na rua nesta fase”, disse Eduardo Cabrita. Foi então que, na entrevista à Antena 1, fez o balanço sanitário.

“Temos 163 militares da GNR e agentes da PSP infectados, dos quais 500 estão em isolamento, já foram mais de 800 porque o acesso aos testes é agora mais rápido”, disse o ministro. Neste ponto, o titular da Administração Interna quis saudar especialmente os 23 agentes da PSP de Ovar que, não sendo habitantes da vila, ficaram no interior do cerco sanitário para garantir a sua efectivação.

Cabrita insistiu que as forças de segurança estão munidas de equipamento de protecção individual, referindo a distribuição de 400 mil máscaras e viseiras e 600 mil unidades de outros equipamentos.

Destacou, ainda, que estão identificadas estruturas de rectaguarda para albergar utentes e funcionários dos lares, contando também com o apoio de 1200 camas facilitadas pelas Forças Armadas.

Quanto aos dados da Operação Páscoa, Eduardo Cabrita referiu-se a 150 detenções, 40 das quais por violação do confinamento, cerca de uma dezena por desrespeito ao cerco sanitário de Ovar e dezenas relativas a estabelecimentos indevidamente abertos.

Por fim, revelou que um cidadão conduzido a casa e alvo de uma queixa ao Ministério Público já foi condenado a uma pena suspensa de prisão de 14 meses.

Sugerir correcção