Covid-19: voos com Espanha suspensos até Maio, meios de combate aos fogos são uma excepção

Além do combate a incêndios, também as aeronaves do Estado, das Forças Armadas, voos para transporte de carga e correio e voos de carácter humanitário ou de emergência médica estão incluídos nas excepções.

,Veículo de luxo
Foto
O controlo nas fronteiras começou às 23h de 16 de Março miguel manso

A resolução do Conselho de Ministros que prolonga, até à meia-noite de 14 de Maio, a reposição, a título excepcional e temporário, do controlo de pessoas nas fronteiras entre Portugal e Espanha, no âmbito da pandemia da doença covid-19, foi publicada em Diário da República esta terça-feira. A resolução determina a suspensão de todos os voos entre os dois países, sendo uma das excepções os meios aéreos de combate aos incêndios florestais. 

O documento refere que, no âmbito do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), está em fase de conclusão o concurso público internacional para a locação de 26 meios aéreos, tornando-se necessário permitir a entrada no país e saída das aeronaves que integrarão o DECIR, assim como do pessoal afecto à operação e manutenção dos meios aéreos.

Segundo a resolução, estão suspensos todos os voos, de todas as companhias aéreas, comerciais ou privados, entre Portugal e Espanha nos aeroportos ou aeródromos portugueses, com excepção “das aeronaves do Estado, das Forças Armadas, das aeronaves que integram, incluindo as que se destinam a integrar o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais, voos para transporte de carga e correio, bem como voos de carácter humanitário ou de emergência médica e as escalas técnicas para fins não comerciais”.

O controlo das fronteiras terrestres com Espanha está a ser feito desde as 23h do dia 16 de Março em nove pontos de passagem autorizada devido à pandemia de covid-19.

A resolução mantêm estes nove pontos de passagem autorizadas, designadamente Valença-Tuy, Vila Verde da Raia-Verín, Quintanilha-San Vitero, Vilar Formoso-Fuentes de Oñoro, Termas de Monfortinho-Cilleros, Marvão-Valência de Alcântara, Caia-Badajoz, Vila Verde de Ficalho-Rosal de la Frontera e Vila Real de Santo António-Ayamonte.

O último balanço indica que, até ao final do dia de segunda-feira, foram controlados nas fronteiras terrestres 169.616 cidadãos, dos quais 1500 foram impedidos de entrar no país e um foi detido por uso de autorização de residência falsa, no ponto de passagem autorizado de Vila Verde da Raia, em Chaves.

No âmbito do controlo das fronteiras, estão impedidas as deslocações turísticas e de lazer entre os dois países, sendo apenas permitida circulação de transportes de mercadorias e de trabalhadores transfronteiriços.

A pandemia de covid-19 fez Portugal entrar em estado de emergência a 19 de Março, prolongando-se até 17 de Abril, mas será renovado, segundo o Presidente da República. 

Segundo o boletim da Direcção-Geral de Saúde desta terça-feira, Portugal regista 567 mortos associados à covid-19 e 17.448 infectados.

Sugerir correcção