Estudo em Casa

“Trancar a porta”, criar uma sala de espera e outros cuidados a ter com as plataformas no ensino à distância

Tempos de pandemia exigem também práticas de “ciber-higiene”. O Ministério da Educação divulgou um conjunto de recomendações no uso de plataformas que permitem a comunicação vídeo e áudio, dirigidas a professores e pais.

Foto
Daniel Rocha

Sem aulas presenciais, “várias plataformas e serviços da Internet estão a ser usados pelas Escolas, como um meio educacional valioso, para que os professores e alunos continuem conectados e a interagir”. Fazê-lo em ambiente seguro é uma das preocupações, quando se sucedem os alertas em relação aos riscos e à vulnerabilidade dos utilizadores.

São dez as recomendações gerais coligidas pelo Ministério da Educação no site Apoio às Escolas, criado “para apoiar as escolas na utilização de metodologias de ensino a distância que lhes permitam dar continuidade aos processos de ensino e aprendizagem”. Zoom, Moodle e Microsoft Teams — e em breve também Google Classroom — merecem recomendações de segurança específicas, disponibilizadas pelo Centro Nacional de Cibersegurança.

Pense antes de publicar informação sensível

Não partilhe informação com a sua localização ou dados pessoais (morada, contactos, fotos, etc.). Estranhos podem facilmente descobrir a sua morada ou o local onde se encontra, bem como utilizar os seus dados pessoais de forma maliciosa. Algumas plataformas têm opções que permitem usar criptografia ponta-a-ponta, protegendo mais a informação trocada.

Mantenha o software atualizado

É importante assegurar que está a usar a última versão disponível do software, devendo certificar-se de que está a proceder às devidas atualizações. Ao fazê-lo, não só obtém novas opções e funcionalidades, como também instala pacotes de segurança.

Seja cuidadoso com a webcam e o microfone

Ligue a webcam e o microfone no uso das plataformas apenas quando for estritamente necessário. Por vezes, as sessões são gravadas e deixamos de ter controlo sobre a privacidade dos nossos dados. Lembre-se também de que a webcam e o microfone podem ser acedidos remotamente. Desligue-os após a sua utilização! Para o fazer, aceda às configurações de privacidade do seu computador.

Utilize formas seguras de convidar os participantes

Estas plataformas oferecem formas distintas de convidar participantes, como partilhar o URL da chamada com qualquer contacto, o que dá poucas garantias de segurança. Deve utilizar sempre um método seguro, que inclui o envio de um identificador e de uma palavra-passe. Pode ainda exigir que os utilizadores sejam autenticados mediante um login nas plataformas antes de aceder a uma sessão.

Controle a partilha de ecrã

Algumas destas plataformas permitem que qualquer pessoa partilhe o que está a ver no seu ecrã, com o grupo. O anfitrião pode impedir que isso aconteça, ao organizar reuniões em que apenas este possa partilhar o que vê no ecrã. Se possível, caso partilhe algum conteúdo no ecrã, utilize uma marca de água de modo a proteger a sua propriedade intelectual.

Crie uma sala de espera

Certas plataformas permitem criar uma sala de espera virtual, antes de a reunião começar. Isso pode ajudar a monitorizar os convidados que vão chegando, selecionando os que podem ou não participar, e permitir apresentar as regras da reunião.

“Tranque a porta”

Algumas destas plataformas permitem impedir que novos utilizadores entrem numa reunião que já começou, mesmo que tenham o link de acesso ou a palavra-chave. Para isso basta “trancar a porta”. Assim impede que estranhos acedam à reunião depois do seu início.

Desligue a partilha nas mensagens

Sempre que estas plataformas permitam impedir o envio de ficheiros no serviço de mensagens, por parte dos participantes, selecione essa opção. Esta funcionalidade é útil para impedir a difusão de conteúdo perigoso (vírus informáticos, por exemplo), durante conversas com grupos maiores.

Escolha as opções de gravação mais adequadas

Para reduzir riscos, o administrador da reunião, caso a plataforma ofereça essa opção, pode decidir que participantes podem gravar a mesma. No entanto, isto só o protege do uso indevido da aplicação, ou seja, o controle da privacidade total não é garantido, pois continua a existir a possibilidade de gravar a conversação, através de software externo.

Não se esqueça de outros cuidados

É importante manter outros cuidados de ciber-higiene que podem ser relevantes para a segurança no uso destas plataformas: use palavras-chave fortes, altere-as com frequência e tenham uma por cada plataforma; faça backups regulares; não abra emails ou clique em anexos e links desconhecidos; evite trabalhar em WI-FI públicos; e siga as regras para uma boa palavra-chave no seu WIFI doméstico.

Sugerir correcção