Fugas

Reportagem

Não há mais aves no céu, “há é mais olhos a vê-las”

Nós cá dentro, presos nas nossas “gaiolas”, enclausurados. Elas lá fora, em liberdade. Enquanto a humanidade se cobre e se tapa, se esconde da pandemia, as aves aproveitam o silêncio, o espaço e uma liberdade invulgar para celebrar a Primavera. A actividade humana espanta as aves. Pausa. Agora não.